[50° Post]: Guia geral dos jogos da AE

Olá a todos! Hoje lhes trago um post mais do que especial, já que é o meu 50° e será sobre TODOS os jogos feitos pela Artix Entertainment. De forma geral, este post serve tanto como uma homenagem ao jogos da empresa, como também uma forma de mostrar a vocês o que cada um deles se trata, a fim de que possam eventualmente jogá-los caso se interessem. É um post bem longo, então sintam-se livres para fazer uma pausa ou lerem apenas sobre os jogos que lhes chamem a atenção. Agora, sem mais enrolações, vamos nessa:

barra

  • AdventureQuest 

AdventureQuest — StrategyWiki, the video game walkthrough and strategy guide wiki

  • Gênero: RPG de Fantasia single-player com combate por turnos
  • Plataformas: Navegador de Internet e Artix Game Launcher
  • Data de lançamento: 15 de Outubro de 2002
  • Última atualização: Atualmente

O jogo que começou tudo, AdventureQuest foi criado por Artix (Adam Bohn) e Warlic (James Adams) antes mesmo da AE existir. Inicialmente, o AQ se chamava L.O.R.E. (abreviação de Land of Rising Evil) e era um jogo totalmente focado em batalhas por turnos, porém mais tarde ele foi aprimorado e transformado em um RPG mais complexo. Enquanto Artix fazia as artes do jogo, Warlic fazia toda a programação e, algum tempo depois, Galanoth (Tony Deller) se juntou a eles e ajudou na concepção e história do jogo. Assim nascia AdventureQuest e, em homenagem ao protótipo, eles nomearam o planeta do AQ de Lore e criaram NPCs como seus próprios personagens.

Artix mostrando em seu Twitter um dos protótipos de L.O.R.E. (sim, o protótipo do protótipo)


O protótipo mais antigo de L.O.R.E.


Apesar de ser um jogo ultrapassado mesmo em 2002, AQ resistiu ao teste do tempo e permanece vivo até hoje (a humanidade vai acabar algum dia, mas AQ não) com atualizações semanais, mesmo depois de 18 anos. O jogo possui cerca de 22 classes, mas começa com a escolha das três classes tradicionais de RPG: Guerreiro, Mago e Ladrão, além da customização facial e de sexo que são características de RPGs Ocidentais. Já a história do AQ trata dos esforços dos heróis em deter os males que ameaçam Battleon e Lore. A saga principal do jogo é a Saga do Devorador, na qual, bem resumidamente, o Deus da Não-Criação, The’Galin, está vindo para destruir Lore por sua corrupção, e o (a) escolhido (a) (que é como seu personagem é chamado) deve impedir que o planeta seja destruído e derrotar os agentes da Network, seres que servem ao The’Galin e que possuem propósitos malignos. De forma geral, a história do AQ é bem complexa e requer muita leitura, pois o jogo não conta com cutscenes detalhadas, mas pode-se dizer que o AdventureQuest possui a segunda melhor história de todos os jogos da AE.

Battleon de AdventureQuest em 2002 e em 2020


O AQ também possui uma dificuldade alta, é o segundo jogo mais difícil da AE, principalmente pelo fato do jogo ser focado no combate, pela maior parte dos inimigos ter esquiva aprimorada e porque muitas missões têm um determinado nível como pré-requisito (a última missão da Saga do Devorador requer Nv. 69). Além disso, existem 11 elementos no jogo (Fogo, Vento, Terra, Água, Energia, Gelo, Luz, Trevas, Vazio, Cura e Prejuízo), e você terá que saber quando usá-los contra determinado tipo de inimigo, já que todas as armas e inimigos possuem um elemento dominante (com poucas exceções). Durante a batalha você pode usar pets para ajudá-lo e também um parceiro de luta, o qual irá consumir seu SP (Skill Points, que servem para uso de habilidades que não usam magia e para fugir da batalha), porém é bom ressaltar que boa parte dos parceiros de luta precisa ser “recrutada” fora da batalha. Também é possível invocar aliados para atacarem 5 vezes por dia (o nome disso é “Ally Assist”, mas não é a mesma coisa dos parceiros de luta).

O combate de AQ em 2002 e em 2020


The Elemental Wheel

A roda elemental com os oito elementos principais (Vazio é um elemento raro, já Cura e Prejuízo são elementos que não se ligam a nenhuma arma ou monstro, pois afetam diretamente o status)


Por fim, apesar da dificuldade do jogo, é muito fácil evoluir de nível no AQ, e aqui você terá que distribuir os pontos de cada atributo: Força (STR: aumenta o dano de armas corpo a corpo e de armas a distância e a chance de acertar os inimigos com armas corpo a corpo), Destreza (DEX: aumenta a chance de esquiva, a chance de acertar qualquer ataque e o dano de armas a distância), Intelecto (INT: aumenta o MP, a chance de acertar ataques mágicos e o dano dos ataques mágicos), Resistência (END: aumenta o HP), Carisma (CHA: aumenta o dano dos pets e a chance deles acertarem o inimigo) e Sorte (LUK: aumenta um pouco a chance de acertar qualquer ataque, a chance esquivar, a chance de iniciar o combate atacando e a chance de ataque crítico). Algumas dicas para deixar o jogo um pouco mais fácil é investir em destreza e sorte, além de usar o Artix ou o Warlic como parceiros de luta, uma vez que Artix pode te curar em alguns turnos, e Warlic sempre ataca com o elemento o qual o inimigo é fraco.

O mapa completo do AQ

barra

  • ZardWars

  • Gênero: RPG de Fantasia single-player com combate por turnos
  • Plataforma: Navegador de Internet (acessível apenas para Guardians do AQ)
  • Ano de lançamento: 2005
  • Última atualização: 2007

Este é um dos jogos mais desconhecidos desta lista, ZardWars é idêntico ao AdventureQuest, mas não por acaso, ele foi criado como uma modificação do AQ por mero propósito de diversão e testagem. Resumidamente, ele é um jogo mais simples e 100% focado em combate, ou seja, a exploração de cenários, que já era pequena no AQ, aqui é inexistente. Além disso, este jogo não possui história e carrega no nome os monstros mais famosos do AQ, os Zards, criaturas que lembram répteis, mas possuem apenas duas pernas. Infelizmente, ZardWars se encontra atualmente inacessível até mesmo para quem é Guardian do AQ, visto que o domínio do jogo sumiu e a AE não quis mais renová-lo. Contudo, fica aqui um dos poucos registros da existência deste jogo na internet.

Um sistema de combate idêntico ao de AQ


Apesar do nome, o jogo não possui apenas Zards como inimigos


O treinamento dos atributos em ZardWars

barra

  • ArchKnight

  • Gênero: RPG de Fantasia single-player com combate por turnos
  • Plataforma: Navegador de Internet (acessível apenas para Guardians do AQ)
  • Ano de lançamento: 2005
  • Última atualização: 2006

O jogo que estreou a primeira aparição de Ash Dragonblade, ArchKnight é uma evolução natural do AQ e de ZardWars, pois era o protótipo do Dragonfable e possuía um maior foco em exploração, além de uma barra de ação levemente diferente do AQ durante os combates. A história do jogo conta sobre a jornada de Ash, um jovem escudeiro que pretende se tornar um ArchKnight, mas para isso acontecer, ele precisa enfrentar vários monstros e realizar inúmeros feitos heróicos. O jogo é simples e não há tanta coisa assim para se fazer nele, porém ele deixou como legado o próprio Dragonfable, e mais tarde teve sua história adaptada dentro deste jogo com uma saga de mesmo nome.

A vila de ArchKnight com Yulgar e Warlic 


O combate de ArchKnight, o qual parece uma mistura de AQ com DF


Uma dungeon com visão de cima, mais tarde este modelo foi adotado em Dragonfable

barra

  • Dragonfable

Dicas DragonFable - Dicas,Truques,Trainers e muito mais!: DF Tomix

  • Gênero: RPG de Fantasia single-player com combate por turnos
  • Plataformas: Navegador de Internet e Artix Game Launcher
  • Data de lançamento: 9 de Junho de 2006
  • Última atualização: Atualmente

O jogo que consolidou de vez a lore do AEverso e também está vivo até hoje, Dragonfable pode ser considerado um ponto fora da curva para a Artix Entertainment, visto que é o jogo mais estratégico e equilibrado já feito por ela. Além disso, Dragonfable foi o jogo que introduziu Cysero (Ryan Street) e Alina (PJ Beemer Renehan) na empresa, os quais foram importantíssimos para o AQW. Um dos aspectos mais aclamados de Dragonfable é sua história, a qual é facilmente a melhor que a AE já fez em qualquer jogo, ela é dividida em três livros: Saga dos Orbes, Dissonância Elemental e Fim da Magia. Você tem a liberdade para escolher se quer começar no Livro 1 ou no 3, mas o recomendado é começar pelo 1, tanto para o entendimento da história, como pela dificuldade do jogo. De forma resumida, a primeira saga de Dragonfable conta a história do (a) herói (ína), sua jornada para se tornar um Dragonlord e sua batalha para impedir Sepulchure, o qual deseja reunir os oito orbes elementais junto de seus aliados (Drakath, Xan, Noxus e outros), a fim de mergulhar o mundo em perdição e ressuscitar um amor perdido.

DragonFable - Design Notes: Dracelix

O Book of Lore de DF, nele é possível acessar o mapa, a linha do tempo da história e as badges


Aliás, é bom lembrar que Dragonfable é o jogo mais difícil da AE, com os inimigos e chefes mais complicados de se derrotar (existe inclusive uma área só de chefes, recomendada apenas para jogadores acima do nível 50). Entretanto, diferente do AQ, a dificuldade de Dragonfable é gradual, ou seja, ela aumenta conforme você avança no jogo (o livro 3 é onde o jogo fica muito difícil), sem falar que a maioria dos monstros é programada para ter o mesmo nível do seu personagem, tudo para manter um equilíbrio na evolução e combate, uma vez que você começa enfrentando chefes mais simples e depois enfrenta chefes que precisam de muita estratégia para se derrotar.

A evolução de Falconreach, a principal cidade do DF


A evolução de Falconreach a noite, é possível alternar entre o dia e a noite, mas apenas nesta cidade


O jogo começa de forma semelhante ao AQ, com customização facial e de sexo, escolha das três classes iniciais e customização das cores dessas classes, mais tarde é possível obter outras, já que o jogo possui cerca de 46 classes. Ademais, os atributos aqui são parecidos com os do AQ, mas não são exatamente os mesmos, são eles: Força (STR: aumenta o dano corpo a corpo e o dano não crítico), Destreza (DEX: aumenta o dano perfurante e o dano em inimigos afetados por DoT), Intelecto (INT: aumenta o dano mágico e o dano crítico), Carisma (CHA: aumenta o dano dos pets e dos convidados, o Gold e XP com convidados e a chance de ativação de habilidades especiais dos pets), Resistência (END: aumenta o HP e a resistência a imobilização), Sabedoria (WIS: aumenta o MP, a cura e a chance de acerto) e Sorte (LUK: aumenta a chance de ataque crítico, a chance de esquiva e a chance de acerto). Existem inclusive atributos secundários (pra vocês verem como é complexo), mas não irei detalhá-los para que esta parte não fique técnica demais (se quiserem mais detalhes, cliquem aqui). O jogo também possui elementos, os quais estão sempre nos monstros e nas armas. Sendo assim, há a presença de 22 elementos, o dobro de seu antecessor, sendo eles: Fogo, Vento, Água, Pedra, Natureza, Gelo, Energia, Luz, Trevas, Bacon, Metal, Prata, Bem, Mal, Ebil, Veneno, Doença, Vazio, Medo, Maldição, Cura e Neutro/Nada.

Guerreiro, Mago e Ladrão no Dragonfable


Elemental Orb | DragonFable Wiki | Fandom

Os oito orbes representando os principais elementos do jogo


Os pets neste jogo são fundamentais nas batalhas, mais do que no AQ, especialmente o bebê dragão, que é o motivo do nome ser chamado “Dragonfable” e é o melhor pet do jogo, pois ele possui atributos próprios (Fighting, Protection, Assistance, Mischief e Magic). Todavia, é preciso alimentá-lo diariamente para que ele possa se fortalecer, e é de extrema importância que você treine seu dragão, visto que ele irá lhe salvar em muitas batalhas difíceis. Outro aspecto a se destacar é o fato do jogo ter uma exploração muito maior, que foi herdada de ArchKnight, além de um sistema de equipes, no qual você pode convidar um ou dois personagens, a fim de formar uma equipe nas batalhas (Ex: Você, Artix e Galanoth). Também é possível encarnar alguns personagens em certas missões e viver a história do ponto de vista deles, alguns exemplos são Ash, Artix e Xan. Por fim, o que ainda pode ser dito é que, se você é um fã de RPG por turnos, Dragonfable é um jogo praticamente obrigatório.

A evolução do combate e do painel de DF

barra

  • MechQuest

  • Gênero: RPG de Ficção científica single-player com combate por turnos
  • Plataformas: Navegador de Internet e Artix Game Launcher
  • Data de lançamento: 1 de Outubro de 2007
  • Última atualização: 16 de Outubro de 2015

Surgindo pouco mais de um ano depois de Dragonfable, MechQuest é um jogo com estilo gráfico muito semelhante ao seu antecessor, porém aqui, ao invés de cenários medievais, temos cenários futuristas com mechas e uma história mais simples e objetiva. A principal e única grande saga do jogo conta a história do Sistema Solaris e sua luta para resistir as forças alienígenas da ShadowScythe (não é a mesma do DF e do AQW), comandada pelo brutal e impiedoso Lord Valoth. No jogo é dito que Solaris é um dos últimos sistemas no universo que ainda não foi dominado pela ShadowScythe, mas o motivo real da invasão é explicado apenas no final da saga. Sendo assim, você terá que explorar cada planeta e impedir que a organização alienígena tenha sucesso na dominação deles.

Lord Valoth | MechQuest Wiki | Fandom

Lord Valoth, o vilão principal de MechQuest


Soluna City, a principal cidade do jogo e que está localizada no planeta Loreon


O Sistema Solaris, com nove planetas, uma lua, uma paródia da estrela da morte e alguns buracos de minhoca (a estrela Solaris não é explorável)


Uma coisa a se ressaltar é que MechQuest não possui classes, porque os mechas assumem este papel e cada um possui mecânicas e estilos próprios, mas é possível customizar a cabeça, os dois braços, os dois canhões nos ombros e adicionar uma habilidade extra, o que totaliza seis habilidades no máximo para cada mecha. A diversidade de mechas é muito grande, indo de robôs de T-Rex até robôs do Bruce Lee e do Chuck Norris. Com se isso já não bastasse, outro grande destaque do jogo é a possibilidade de trabalhar em diversas profissões diferentes, como Médico, Entregador de Pizza, Policial, Caçador de Artefatos e Caçador de Fantasmas (sim, tudo ao mesmo tempo, no modo Super Julius).

O modelo das batalhas de MechQuest


Quando você começa o jogo, só será possível customizar a face e o sexo do seu personagem, o mecha inicial é sempre o mesmo, mas é possível customizar as cores dele. Enquanto você progredir na história, também será possível completar diversas disciplinas na Universidade G.E.A.R.S., uma vez que, em MechQuest, seu personagem é um universitário que está fazendo as cadeiras enquanto salva o universo (de repente, a vida de universitário do presente não ficou tão ruim). Entre as disciplinas que você vai cursar estão Lâmina de Energia (que é semelhante a Artes Marciais, mas com sabres de luz), Combate de Mecha, Pilotagem de Mecha, Teoria de Combate Avançado e Aplicações Matemáticas de Terraformação para Habitação (ou M.A.T.H.). Você também terá que escolher uma das três casas da universidade, WolfBlade, RuneHawk e MystRaven, cada casa representa um tipo de mecha: Guerreiro, mago e ladrão, respectivamente, e a escolha terá impacto no final do jogo.

Uma sala da universidade durante a aula de M.A.T.H. (não é muito diferente da atual)


As três casas da G.E.A.R.S., da esquerda para a direita, WolfBlade, RuneHawk e MystRaven


Além disso, é interessante falar que o reitor da Universidade G.E.A.R.S. é Warlic, e outras figuras conhecidas também aparecem em MQ, como Artix, Alteon, Robina e Zorbak, porém eles estão adaptados ao ambiente futurista. Focando mais em gameplay agora, pode-se dizer que a dificuldade do jogo é elevada, MechQuest possivelmente é o terceiro jogo mais difícil da AE, pois possui chefes desafiadores, momentos de grind obrigatório (exatamente isso que vocês leram) e, em algumas partes da saga, há a obrigação de comprar um mecha novo e caro para prosseguir na história. Também é possível lutar sem os mechas, já que em vários momentos você lutará a pé com lâminas de energia (ou sabres de luz mesmo). Nestas lutas, existem quatro comandos básicos: Ataque, ataque forte, defesa e fuga, sendo que ataque forte e defesa consomem energia. Por último, quando você evoluir de nível, os pontos de atributos ganhos serão usados para treinar o mecha na Pilotagem de Mecha da G.E.A.R.S., existem seis atributos: Poder (aumenta o dano desferido), Precisão (aumenta a chance de acerto), Eficiência (diminui a quantidade de energia gasta por ataque), Percepção (diminui o dano recebido), Reflexo (aumenta a chance de esquiva e de iniciar um combate primeiro que o oponente) e Sorte (aumenta a chance de ataque crítico, diminui a chance de ser atordoado e também aumenta a chance de iniciar o combate antes do oponente).

Um exemplo de combate a pé em MechQuest

barra

  • AdventureQuest Worlds

1680x1050 Aqw Artix Char Wallpaper

  • Gênero: MMORPG 2D de Fantasia com combate em tempo real
  • Plataformas: Navegador de Internet e Artix Game Launcher
  • Data de lançamento: 10 de Outubro de 2008
  • Última atualização: Atualmente

Este jogo dispensa qualquer apresentação, porque todos vocês já sabem muito sobre ele. AdventureQuest Worlds é o jogo mais famoso da AE e também o primeiro MMO da empresa. Quando este jogo foi lançado, ele era uma grande inovação e um grande passo para a empresa, pois foi com o AQW que a AE ficou relativamente famosa na internet. Além disso, o jogo era um tanto diferente do que se havia disponível nos PCs e nos navegadores de forma geral, porque ele apresentava um foco nos gráficos 2D cartunescos, jogabilidade simples e uma lore criativa e ousada herdada de AQ e principalmente de DF, o que era diferente dos MMOs daquela época.

Battleon em 2009 e em 2020


AQW possui inúmeras sagas, mas a história principal é dividida em duas grandes sagas: Os 13 Lordes do Caos e a Rainha dos Monstros. Sendo que a primeira saga conta a jornada do (a) herói (ína) que está lutando contra Drakath e seus lordes, os quais desejam invocar treze bestas para ativar o portão do caos e liberar a criatura que concedeu poder ao Campeão do Caos (embora muitas vezes haja treta entre Drakath e os lordes). Então, para evitar que isto aconteça e garantir que Lore não seja destruída no processo, você terá que fazer algumas escolhas (como escolher ser Good, Evil ou até Chaos) que determinarão o futuro do planeta, enquanto descobrirá que seu poder e sua verdadeira identidade também serão importantes para isso. AQW começa de forma semelhante ao AQ e DF, visto que há a presença da customização facial e de sexo, além da escolha das classes iniciais, porém aqui são quatro: Guerreiro, Mago, Ladrão e Curandeiro. No total, o jogo possui mais de 110 classes (considerando apenas originais) e, apesar de não possuírem tantas skills como as classes do AQ e DF, elas apresentam uma relação muito maior entre elas, combinando-as entre si para ter efeitos diferentes. Enquanto isso, as skills passivas possuem uma importância muito maior agora, pois elas alteram a dinâmica das classes e, em alguns casos, mudam quase tudo.

OFF-Post]: Coisas básicas que o AQW já deveria possuir | AQWCangaceiros

As quatro classes iniciais de AQW


adventure quest worlds - Google Search | Adventure quest, Adventure, World wallpaper

Várias classes do AQW (nem todos aí representam classes)


A dificuldade do AQW é relativamente baixa, o que ajudou a garantir um público muito maior que os jogos anteriores, porém há momentos onde ela sobe bastante, especialmente quando se enfrenta bosses como os Lordes do Caos, Binky, DoomKitten, Undead Raxgore, entre outros. Além disso, a jogabilidade, pela primeira vez nos jogos da AE, não é por turnos, e, sim, em tempo real, ou seja, é um meio termo entre ação e estratégia, isso tudo para garantir que os jogadores interajam entre si. O trabalho em equipe nunca foi tão importante quanto agora, já que o AQW incentiva (ou incentivava pelo menos) a criação de equipes durante a luta contra chefes e outros objetivos menores. Contudo, com o lançamento de classes super poderosas, o fator cooperativo se enfraqueceu bastante.

O combate de AQW em 2008 e em 2020 (sim, a poluição visual na imagem de baixo lagou seu PC)


Um dos focos do AQW, além da coleção de itens, é a customização de personagem, como nunca vista antes na AE, na qual é possível alterar o capacete/cabelo, a armadura/roupa, a capa/asas e a arma, tudo isso para dar uma maior liberdade ao jogador, esses equipamentos também influenciam e muito os atributos. Aliás, os atributos aqui são variados por classe e não é necessário distribuí-los manualmente, ao invés disso, os enhancements fazem este papel, visto que é preciso aplicá-los em cada item do seu set (exceto armadura, que é totalmente cosmética). No jogo também temos o Book of Lore e o mapa, o primeiro é usado para acessar as sagas e missões principais do jogo, as badges e algumas outras coisas. Entretanto, o Book of Lore acabou sofrendo mudanças pra pior que deixaram-no com um design não tão agradável, e ele também está desatualizado desde 2014. Já o mapa se atualizou bastante, pois ele basicamente assumiu o papel do Book of Lore, mostrando as principais sagas e as principais regiões e locais de Lore. Por último, é preciso dizer que AQW compete com DF ao posto de melhor jogo da AE, se você gosta de MMOs, então pode jogar sem medo, e se você não gostar de MMOs, é possível que goste dele mesmo assim, porque o AQW é simples, direto, criativo e cativante. Embora o AQW tenha sofrido uma queda de qualidade em vários quesitos ao longo dos anos, ainda é um jogo que vale a pena jogar, pelo menos de vez em quando.

O mapa de Lore em 2008 e em 2020


O Book of Lore de 2009 e de 2020 (que é horrível)

barra

  • WarpForce

  • Gênero: RPG de Ficção científica single-player com combate por turnos
  • Plataformas: Navegador de Internet e Artix Game Launcher
  • Data de lançamento: 17 de Julho de 2009
  • Última atualização: 20 de Janeiro de 2012

A expansão do AdventureQuest Clássico, WarpForce é um jogo nos mesmos moldes do AQ, mas com uma temática futurista (não tanto quanto MechQuest). Por ser uma expansão de um jogo já existente, WF não trouxe muitos aspectos novos e, por vezes, passa despercebido pela maioria do grande público. No entanto, ainda é um jogo razoavelmente bom e é quase certo que irá agradar os fãs do AQ original, mesmo com bem menos conteúdo. A história deste jogo narra a aventura de um grupo, a WarpForce, formado por pessoas importantes de várias raças de Lore, que se unem para derrotar a Network (aquela mesma organização maligna do AQ) de uma vez por todas e impedir mais uma vez que The’Galin destrua Lore e outros planetas. Você é um (a) aventureiro (a) que acaba encontrando Celestra, a caçadora que estava no AQ original e viajou centenas de anos no futuro, a fim de destruir The’Galin e vingar a morte do pai. Celestra possui a manopla do The’Galin, a qual pode cortar o espaço-tempo e permitiu que ela fizesse a viagem ao futuro. Unidos após uma batalha contra um agente da Network, Celestra e você se juntarão a WarpForce e livrarão vários planetas diferentes da organização maligna (a história do jogo é basicamente AQ + MQ + Star Trek).

A LSS Alteon, a nave principal do jogo, que funciona da mesma maneira que Battleon no AQ


Os principais personagens de WarpForce, da esquerda para a direita, Rainha Pra’Mithia, uma Drakel, Celestra, uma elfa, e Almirante Amada, um humano


Praticamente tudo que foi explicado no AQ também pode ser aplicado aqui, incluindo os atributos, elementos, pets e parceiros. Entretanto, irei ressaltar as diferenças agora, o jogo se inicia com a boa e velha customização facial e de sexo, mas desta vez é possível escolher três raças diferentes: Humano, Elfo e Drakel, as quais são as raças dos integrantes da WarpForce. Além disso, o jogo possui apenas duas classes: Striker (atacante) e Gunner (atirador), sendo a primeira focada em ataques corpo a corpo e a segunda focada em ataques a distância.  Durante o combate é possível usar trajes de batalha e uma manopla que utiliza SP para desferir ataques (e, sim, existe uma “manopla do infinito” no jogo), esta arma substitui o papel do escudo do AQ, tornando você mais ofensivo ao invés de mais defensivo. Apesar de ser possível viajar para inúmeros planetas, não é possível explorá-los como no MechQuest, já que o foco do jogo ainda é o combate. Por último, a dificuldade de WF é semelhante a do AQ, podendo até ser mais difícil em alguns casos, já que a restrição de níveis por missões permanece, e para terminar a saga principal é necessário estar no nível 82 (haja coragem e paciência).

O combate de WarpForce é quase idêntico ao de AQ, mudando alguns elementos

barra

  • EpicDuel

Best 43+ Artix Wallpaper on HipWallpaper | Artix Entertainment Wallpapers, Artix Wallpaper and Artix Sepulchure Wallpaper

  • Gênero: MMORPG de Ficção científica com combate por turnos
  • Plataformas: Navegador de Internet e Artix Game Launcher
  • Data de lançamento: 2 de Dezembro de 2009
  • Última atualização: Atualmente

Com uma atmosfera pesada e adulta, além de uma temática Cyberpunk 2077, EpicDuel oferece uma experiência única dentre os jogos da AE, pois é de longe o jogo mais diferente dela, ele é tão diferente dos outros jogos da empresa que nem parece ser feito por ela. A história de EpicDuel começa com Baelius, um magnata interestelar, que usou sua inteligência para conquistar seu sonho, o Projeto Delta, o qual visava uma população mais obediente, e para alcançar isto ele precisava de dinheiro. Em determinado momento, Baelius viajou até Delta V para buscar minérios comuns e financiar seu projeto, mas, ao invés disso, ele encontrou Varium, o minério mais valioso da galáxia. Com o dinheiro arrecadado, Baelius criou um exército para subjugar o planeta inteiro e conquistá-lo, escravizando seus próprios financiadores e os habitantes de Delta V. Anos mais tarde, o planeta ficou completamente devastado, pois o Varium extraído também era a fonte de vida de Delta V. No entanto, uma insurreição surgiu para derrubar Baelius e seus subordinados, o que enfraqueceu fortemente sua ditadura. Assim, o tirano usou seu último recurso: um banimento em massa usando tecnologia de teletransporte energizada por Varium. Com isso, 80% da população do planeta foi banida, incluindo os próprios soldados de Baelius, porém não demorou muito para que os banidos retornassem. Dessa forma, as pessoas que fizeram parte da insurreição se autodenominaram de Exílio, e os que se mantiveram fiéis a Baelius se autodenominaram Legião, e então as duas grandes facções iniciaram sua batalha para a conquista de Delta V. Enquanto o Exílio luta pela liberdade e o direito de ir e vir, a Legião luta pela opressão e a ordem.

EpicDuel..."Titan" THE INTERVIEW!

Baelius e seu exército implacável


Fortune City, a principal cidade de Delta V e base de operações de Baelius


O emblema da Legião e do Exílio


EpicDuel se inicia do mesmo jeito que outros jogos da AE, com customização facial e de sexo e a escolha de três classes iniciais modernizadas: Mercenário, TecnoMago e Caçador de Recompensas, sendo que as três representam Guerreiro, Mago e Ladrão, respectivamente, e estas classes também possuem upgrades, que se chamam: Mercenário Tático, Mago de Sangue e CyberCaçador (totalizando 6 classes no total). Por último, há a presença da personalização das cores da armadura, assim como em Dragonfable e MechQuest. Além disso, os atributos do seu personagem são diferentes dos outros jogos, são eles: Saúde (aumenta seu HP), Energia (aumenta sua energia, que aqui funciona como MP), Força (aumenta o dano da arma primária), Destreza (aumenta a defesa física e a chance de bloqueio), Tecnologia (aumenta a resistência a ataques de energia, o dano de robôs e a chance de deflexão), Suporte (aumenta o dano das armas secundárias, a chance de começar o combate, a chance de crítico, diminui a chance de ser atordoado a aumenta a taxa de fúria) e Foco (aumenta o dano de robôs). No que diz respeito a equipamentos, há a presença da arma primária (que varia de acordo com sua classe), armas secundárias (pistola/revólver/metralhadora/escopeta e rifle/lança-mísseis/bazuca), energéticos de vida e energia e robôs (que funcionam como pets). Como se isso tudo não bastasse, ainda é possível mudar de armadura comprando ou ganhando em missões, e você também pode comprar veículos para se deslocar mais rapidamente (sim, foi EpicDuel que inventou essa modinha do AQW).

As três principais classes do jogo: Mercenário, TecnoMago e Caçador de Recompensas


Em EpicDuel é possível desafiar grande parte dos NPCs (sim, o jogo também possui legendas em português, mas nem todas as falas são traduzidas)


Visão geral de como é o sistema de lutas de EpicDuel


De uma forma geral, EpicDuel é muito atmosférico, passando bem a sensação de mundo devastado e oprimido, com temas que normalmente não seriam abordados nos jogos da AE, como violência, sangue, destruição ambiental, fascismo, ditadura, tortura e traição (este último é até bem mostrado nos outros jogos). A lore do jogo também é rica, possuindo vários locais e personagens interessantes, incluindo até mesmo personagens de outros jogos, como Char Drakrylos (ambos de MQ), Dage, Revontheus e Darkon (os três de AQW). A dificuldade de EpicDuel é razoavelmente elevada, em outras palavras, este jogo é o quarto mais difícil da AE, necessitando de uma boa dose de estratégia nos combates, especialmente contra chefes, os quais muitas vezes precisam de duplas para serem derrotados (uma dica é investir em Destreza e Tecnologia para aumentar sua defesa geral). Contudo, o destaque mesmo do jogo fica no PVP, que é o melhor de todos da AE, pois há diversas opções, 1 vs 1, 2 vs 2 e 1 vs 2, além de um limite de níveis para manter o balanceamento de batalhas e missões que precisam do PVP para serem completadas. Aliás, o maior defeito do jogo é sua quase completa ausência de aúdio, já que EpicDuel não possui músicas e há poucos sons (assim como no AQ), sem falar na escassez de cutscenes. Por último, temos as guerras de facções, as quais acontecem todo mês e determinam qual facção irá dominar determinada área de Delta V, e o resultado das guerras altera o ambiente onde elas ocorrem.

Vários jogadores na estação central de Delta V


O mapa de Delta V em 2009 e em 2020


Overlord Facility, um dos vários mapas de EpicDuel

barra

  • Bladehaven

Artix Entertainment -- MiniGames

  • Gênero: RPG de Fantasia com ação em primeira pessoa
  • Plataforma: Navegador de Internet
  • Data de lançamento: 5 de Novembro de 2010
  • Última atualização: 2010

O primeiro jogo de ação da AE, Bladehaven é um jogo simples e direto que conta a história de Alden Alteon, antes dele se tornar rei, e sua jornada como escudeiro até se tornar cavaleiro do Reino de Bladehaven. Entre os principais personagens do jogo estão o Rei Timascus, Sir Fonzus (o treinador de Alteon) e a Princesa Nadine. O mapa do jogo possui cinco áreas principais: Um pântano, uma floresta amaldiçoada, uma caverna e um vulcão. Logo, Alden precisará passar por estes locais, a fim de confrontar Lord Valoth (não é o mesmo de MQ) e resgatar a Princesa Nadine, a qual foi sequestrada pelo cavaleiro maligno. Com relação ao equipamento do jogo, Alden é capaz de usar uma arma principal, seja espada, faca ou machado, um escudo, um livro de feitiço, algumas poções e um gnomo mercenário como pet (estes dois últimos necessitando de Artix Points). Por último, temos o combate que funciona com o teclado e mouse. Dessa forma, o comando para ataque é clicar, segurar e fazer uma linha no inimigo, literalmente cortando ele, para defesa é necessário segurar espaço, porém há uma barra de vigor como limite para a defesa. Finalmente temos o comando para feitiços, o qual é necessário apertar a tecla V e completar o círculo de transmutação, a fim de liberar o feitiço equipado.

O Rei Timascus e a Princesa Nadine


O mapa de Bladehaven (nem metade disso é explorável, só avisando)


Blade Haven - The Order of the Dark Wolf - An AQWorlds Guild

Uma demonstração do combate em primeira pessoa

barra

  • HeroSmash!

HeroSmash | MMOHuts

  • Gênero: MMORPG 2D com combate em tempo real
  • Plataforma: Navegador de Internet
  • Data de lançamento: 28 de Abril de 2011
  • Última atualização: 1 de Julho de 2015

Este jogo possuía uma temática interessante, porém fracassou como produto comercial, visto que HeroSmash foi uma tentativa da AE de replicar o sucesso do AQW, mas com o foco em super-heróis. Infelizmente, ele não vingou e acabou sofrendo com uma falta de conteúdo, mesmo tendo quatro anos de vida. Ainda assim, HeroSmash tem coisas que valem a pena comentar, como as habilidades do seu personagem (daqui a pouco falo delas). A história deste jogo começa com a invasão de vários robôs alienígenas a Liberty City, a principal cidade de HeroSmash, estes seres são comandados por Clock Blocker, um alienígena genérico ser do futuro que pretende mudar o passado, porém de uma maneira radical (seria tão mais fácil se eles dissessem o porquê). Quando você cria seu personagem é possível customizar a face e o sexo, além do seu traje heroico, que pode variar com inúmeras opções (eles realmente deram muitas opções aqui).

Cutscene HS! | Battleon Center

O vilão principal de HeroSmash (fica aqui a dúvida: Ele é um Alien, um robô ou os dois?)


Hero Smash - Alpha Testing

A tela de customização inicial


VXzMW.png

O mapa de HeroSmash


Assim como no AQW, é possível escolher o lado que você quer seguir, seja como Super-Herói ou Super-Vilão. Além disso, aqui o alinhamento é muito mais bem trabalhado do que no AQW, pois existem duas facções principais para cada lado, e uma quinta facção secreta (Spoiler: É a facção da Morte). Como se isso não bastasse, suas escolhas afetam o decorrer da história e das cutscenes, e quanto mais reputação você ganhar em uma facção, menos reputação vai ter em outra (exemplo: +300 Good, -300 Evil). No que diz respeito a jogabilidade, HeroSmash entrega uma experiência muito semelhante a do AQW, com a diferença de que aqui não existem classes, mas é possível customizar suas habilidades (que são 1 auto ataque + 5 skills), formando qualquer combinação possível de poderes, e esta é um das melhores coisas do jogo. Você também pode voar pelos cenários, isto permite explorar mais o mapa, completar missões e derrotar inimigos que estão em locais altos.

3UcJvOE.png

A vista em cima dos prédios é o local onde o jogo se inicia ao logar


Hero Smash - Design Notes

Uma das avenidas de Liberty City

barra

  • EbilGames

  • Gênero: Arcade
  • Plataforma: Navegador de Internet
  • Ano de lançamento: 2011
  • Última atualização: 2011

EbilGames não é apenas um jogo, é na verdade uma coleção de vários minigames reunidos em 2011. Mesmo que a maior parte deles exista antes mesmo da coleção existir, o grande público só conseguiu jogá-los quando eles vieram a tona. Eles são simples e objetivos, e a maior parte deles não possui história, então falarei resumidamente de cada um:

  • Undead Assault

Minigame focado em Artix, é um endless runner em que você tem que derrotar inúmeros inimigos para ganhar gold e experiência para passar de fase. Durante o intervalo entre as fases você irá a uma loja e poderá comprar novas armas e poções com o dinheiro que ganhou, e assim seguirá para a próxima fase (o jogo é só isso mesmo).

Aquele design retrô do AQ que todos amam


  • MonsterJoust Madness

Possivelmente o mais engraçado de todos os minigames, MonsterJoust Madness é um jogo de justa, no qual você deve duelar com um oponente usando uma lança e montado em um zard, um Daimyo gigante, uma salamandra e por aí vai. Aqui, você também usará várias armas, de espadas até o B.L.o.D., mas para isso terá que derrotar seus oponentes, que são diversos, exemplos são Drakonnan, Wolfwing, Xan, e até Akriloth e Carnax (embora enfrentá-los aqui não faça o menor sentido). A cada golpe que acertar, você ganhará uma quantia de gold, se conseguir derrubar seu oponente, ganhará mais gold que o normal, e então poderá gastá-lo na loja para comprar montarias e armas novas. Contudo, nem tudo são flores, este também é o minigame mais difícil de todos, já que os inimigos não irão te perdoar se você errar o ataque.

Derrube o oponente e você ouvirá uma calorosa torcida gritando e rindo


  • Ninja Shadow Adventure

O esquema deste jogo é exatamente o mesmo de Undead Assault, mate os inimigos, colete XP para passar de nível e ganhe gold para comprar armas novas. A única diferença dele para U.A. é que aqui você precisa clicar diretamente nos inimigos para atacá-los, mas não há muito mais a se falar, vamos ao próximo.

Uma das fases de Ninja Shadow Adventure


  • FireSpawn

O minigame solo de Galanoth e também um dos mais difíceis. O jogo consiste em caçar um dragão vermelho de fogo, e Galanoth usará uma besta para matá-lo, tudo isso enquanto desvia dos obstáculos em cima de seu cavalo. Há cinco tipos de flechas para a besta: Flecha normal, flecha de fogo, flecha de água, flecha tridente e flecha explosiva, todas elas obtidas acertando ícones na tela. Entretanto, mesmo com tudo isso, será muito demorado terminar este jogo, porque as flechas dão pouco dano e o dragão possui muito HP (você ainda descobre da pior maneira que não poderá matar o dragão).

Galanoth atacando o dragão vermelho com sua besta (onde está a Dragonblade quando a gente precisa dela?)


  • Robina Hood’s Monster Hunt

Minigame focado em Robina, aqui você usará o arco e flecha de Robina para alcançar os objetivos do jogo, sejam acertar alvos, matar uma determinada quantidade de inimigos ou até mesmo matar um chefe de fase. Além disso, ele possui uma progressão interessante, apesar da quase completa ausência de história, é um dos melhores minigames.

Sim, também é possível matar o Twilly


  • Valencia Surehunter: Staff of the Irismancer

Minigame focado em Valencia, este também é um endless runner onde você precisa matar uma determinada quantidade de monstros para a avançar no jogo. Com direito a ataque especial e alguns chefes, o último sendo o Irismancer, um dos subordinados de Sepulchure no Dragonfable. Seu maior obstáculo neste jogo serão os buracos, pois eventualmente você cairá em um deles acidentalmente, e adivinhe qual é o poder especial do Irismancer? Sim, isso mesmo, criar buracos.

Segundos antes da desgraça acontecer…


  • Jimmy the Eye

Minigame focado em Jimmy the Eye, o mascote de Warlic, que está em uma missão importante e terá que derrotar muitos monstros e chefes para alcançar seu objetivo. No jogo, Jimmy possui duas barras, uma de HP e outra de MP, esta última serve para criar uma barreira mágica para proteger Jimmy de ataques diretos, especialmente de monstros suicidas, já que aqui, tudo e todos tentam matar Jimmy, custe o que custar.

A primeira fase do jogo é uma área montanhosa


  • Deady

O fiel companheiro de Voltaire também ganhou seu minigame e com direito a música “When You’re Evil” do pirata gótico. O jogo possui uma história e narra a iniciativa do Lord Krom Wrath, regente do Planeta Necronus, de se aliar a um esqueleto gigante e provar que é o ser mais maligno da galáxia. Todavia, Deady não aceita isso e pretende ir até ao castelo do Lord, para provar que o tirano está errado (história profunda). O jogo tem dois comandos básicos de pular e atacar, mas só isso será o bastante para espalhar o caos por Necronus na pele de Deady.

Deady destruindo os mortos-vivos que passam pela sua frente


  • Moglin Punter

Um dos minigames mais engraçados, Moglin Punter conta a história de um herói que acordou faminto, porém não possuía nenhum cereal para o café da manhã. Com isso, ele tenta comer Twilly, mas muda de ideia quando avista uma loja de doces, e assim o herói percorre um longo caminho com o moglin para comer um bolo e satisfazer sua fome. Dessa forma, você jogará como o herói e chutará Twilly para pegar os bicoitos e bolos. Apenas os bolos são necessários para avançar no jogo, porém se você coletar todos os biscoitos, desbloqueará uma fase extra e alguns itens bônus no Dragonfable.

Chute Twilly para que ele possa pegar o biscoito e o bolo


  • Turkageddon

O minigame baseado em um evento de MechQuest, onde perus são controlados pela música “Overkill” de Evil Jim, o clone maligno de Warlic. Neste jogo, você só precisará pilotar um carro e atirar raios nos perus, fazendo a maior pontuação possível e evitando que os perus lhe acertem.

O jogo é simples, mas a música é bem legal


  • Soothe

Um minigame simples e o mais genérico de todos, no qual você atira em bases inimigas, faz pontuações e coleta chaves para avançar de fase (the end).

Não há muito a se fazer neste jogo além de atirar e se mover sem rumo certo


  • Ninja Shadow Assault

O minigame mais aleatório de todos, em NinjaShadow Assault, você controla Adam Bohn, o criador da AE, e tem que enfrentar ninjas da EbilCorp para que eles não dominem a empresa. A movimentação do jogo é estranha, porque é toda baseada nos movimentos reais de Adam e outros, mas de uma forma cômica e totalmente bugada, a ponto de você não saber se está ou não acertando o inimigo.

Uma pequena amostra do jogo


  • Battle Fruit

Um minigame que lembra Worms, mas que funciona de forma diferente, visto que você apenas avança pelo cenário bombardeando tudo o que vê pela frente. Há tipos diferentes de tiro que você desbloqueia a partir de uma determinada quantia de pontos, porém também é outro jogo aleatório e esquecível.

Use a bazuca da fruta para destruir torretas e pequenas paredes


  • Organism

Um minigame onde você cria cenários com objetos para que interajam entre si e formem uma música com o impacto de cada coisa. Não é muito interessante e precisa ser bem criativo para fazer algo legal.

Não há nada para ver aqui, próximo…


  • StickQuest

Um minigame que funciona como spin-off de HeroSmash, onde você controla um herói ou vilão aleatório e precisa detonar tudo o que vê pela frente. O jogo possui diversos comandos e poderes, um mais exagerado que o outro (fazendo até o Thanos com a manopla morrer de inveja). Assim que você derrota todos os inimigos e passa de fase, terá de enfrentar um chefe que possui habilidades tão poderosas quanto as suas. Então, apesar do seu poderio, é preciso saber qual e quando usar determinada habilidade.

Para ativar seus poderes, quase todas as letras do teclado serão usadas


  • Gnome Man’s Land

Este minigame é um spin-off de Dragonfable que conta a história da resistência de Popsprocket, a cidade dos gnomos, contra as forças de Drakath, a mando de Sepulchure. O jogo é puramente estratégico e lembra muito jogos estilo tower defense, no qual você precisa impedir que inimigos invadam sua base e a destruam. Contudo, aqui você não possui torres, e sim seus soldados para impedir o avanço dos oponentes, enquanto também tenta subjugá-los e invadir a base deles para ser vitorioso.

A tela ficará caótica após um bom tempo em uma fase


  • Zorbak’s Rampage

Zorbak's Rampage

Um dos minigames mais simples que consiste em destruir casas de moglins com um mecha de Zorbak. Tudo isso em 3D, o que é interessante, mas não o suficiente para chamar atenção, já que o jogo parece mais uma demonstração Pré-Alpha de AQ3D.

Não, não. Não é a qualidade da imagem que está ruim, o jogo é assim mesmo

barra

  • Fat Panda

Absolute Pandamonium

  • Gênero: Arcade
  • Plataformas: Android (indisponível), iOS (indisponível) e Navegador de Internet
  • Data de lançamento: 16 de Março de 2011
  • Última atualização: 2011

O primeiro jogo mobile da AE, Fat Panda foi criado inicialmente como um minigame do Ebil Games, porém a empresa achou que o jogo seria um bom experimento para as plataformas móveis (embora a escolha tenha sido questionável). De forma geral, é um jogo bem simples, pois consiste em controlar um panda para que ele coma certos tipos de comidas, as quais são arremessadas por pessoas fora da tela. É preciso alimentar o panda a fim de que ele possa engordar e passar de nível, porém algumas comidas não são boas para consumo, o que pode acabar fazendo com que o panda emagreça e perca pontos.

As várias fases do jogo


A tela onde a ação acontece, as comidas são arremessadas e o panda precisa comê-las

barra

  • Pony Vs Pony 

Pony Vs Pony - Battle is Magic | Pony Vs Pony Wiki | Fandom

  • Gênero: Quebra-cabeça de luta por turnos
  • Plataforma: Navegador de Internet
  • Data de lançamento: 16 de Setembro de 2011
  • Última atualização: 2012

Pony vs Pony é outro jogo simples, porém cativante para amantes desta temática. É um jogo que lembra Candy Crush e Bejeweled, visto que você precisa combinar tipos de uma mesma coisa para eliminar colunas. Entretanto, aqui este sistema é criativamente usado como uma forma de combate, onde cada tipo de coluna representa um tipo de ação em um combate por turnos. Além disso, em Pony vs Pony é possível customizar seu pônei, comprando itens na loja com os ganhos das batalhas. Apesar do jogo não ter história ou uma campanha propriamente dita, ele possui chefes que são desbloqueados após um determinado nível e número de batalhas. O interessante é que cada chefe representa uma figura icônica da AE, como Artix, Alina e Warlic. No entanto, o maior legado deste jogo foi ter ajudado a conceber o seu sucessor espiritual, que se tornou um dos maiores sucessos da AE no mobile (daqui a pouco falo dele).

O menu princical do jogo


O sistema de batalha de P.V.P.

barra

  • Oversoul

OverSoul

  • Gênero: MMORPG de cartas com combate por turnos
  • Plataformas: Navegador de Internet e Artix Game Launcher
  • Data de lançamento: 31 de Outubro de 2012
  • Última atualização: 13 de Novembro de 2015

O jogo que surgiu após a famigerada Evil War do AQW, Oversoul é um jogo que se passa em um universo paralelo ao AQW, no qual é focado em Nulgath e a lore que o envolve, uma vez que o Archfiend usou o lugar para criar um novo exército, reconstruir a Nation e se vingar de Dage. A história do jogo é muito simples, pois ela conta a jornada da Grande Alma (OverSoul), que está vagando pelo mundo em busca de um corpo, enquanto Oblivion e Nulgath desejam que você (a Grande Alma) se junte a eles devido ao seu imenso potencial. Dessa forma, o jogo começa e a escolha de três personagens para serem seu “receptáculo” deve ser feita, as opções iniciais são o Young Paladin, o Void of Nulgath e o Lighting Wolf. Com o passar dos níveis será possível evoluir um deles e até mesmo possuir outros monstros, porém vale a pena ressaltar que cada personagem tem níveis e evoluções próprias. Assim, cada um deles tem uma árvore de evolução com quatro níveis: Aprendiz, Veterano, Mestre e Lendário (nem todos os personagens possuem estes níveis de evolução).

Oversoul More Design Notes

Um exemplo da evolução do Paladin (no jogo, o novato e o veterano são diferentes)


Oversoul Alpha Test

Vários personagens do jogo, e todos eles são jogáveis


Um lich como personagem jogável


Oversoul praticamente não tem missões e não possui sagas, você é livre para fazer o que bem entender e ir aonde quiser no grande mapa. Contudo, isso também é consequência da falta de conteúdo do jogo, porque ele se limita ao combate e captura de monstros. Por falar nisso, a principal mecânica de Oversoul é essa, lutar, derrotar e possuir novos monstros, colecionando cada um deles (mas alguns só são obtidos pagando com soul gem). Inclusive é possível jogar com personagens famosos, como o próprio Nulgath, Warlic e até mesmo Drakath. Além disso, o combate é por turnos e funciona com cartas (sim, o jogo é uma mistura de DF, AQW, Yu-Gi-Oh! e Pokemon), sendo necessário criar estratégias e recarregar a energia do elemento de seu personagem. Sim, os elementos estão presentes aqui e são 9: Fogo, Água, Terra, Gelo, Energia, Luz, Escuridão, Neutro e Caos (não me perguntem porque não tem vento, eu também não sei). Apesar de ser um jogo bem interessante, Oversoul infelizmente peca em muitos aspectos, sendo os principais a falta de história, falta de missões, falta de variedade das dungeons, possuir poucas e enjoativas músicas e ter muitos bugs (sério, é de longe o jogo mais bugado da AE).

O mapa aberto explorável do jogo


O combate inusitado de Oversoul

barra

  • AdventureQuest 3D: Legend of Lore (cancelado)

AQ3D - Legend of LORE!

  • Gênero: MMORPG 3D de Fantasia com combate em tempo real
  • Plataforma planejada: Navegador de Internet
  • Data da revelação: 12 de Junho de 2012
  • Data do cancelamento: 12 de Junho de 2014

Não, vocês não leram errado, este é o AQ3D, mas é o AQ3D antes de ser o AQ3D de hoje. Em outras palavras, embora Legend of Lore tenha sido desenvolvido no Unity, a AE pretendia usar a próxima geração do flash para portar o jogo no navegador, a fim de que mais pessoas tivessem acesso a ele. Contudo, a AE descobriu que não poderia usar mais o Flash Player, pois a Adobe havia anunciado que a próxima geração dele não existiria e assim o flash seria descontinuado (o que também vai afetar todos os jogos desta lista). Com isso, a AE teve que mudar seus rumos e focar em jogos mobile, enquanto tentava adaptar seus principais jogos ao novo ambiente (só estão alguns anos atrasados).

Um painel de AQ3D usado na DragonCon 2012


A Battleon e o painel principal do jogo


O pouco que se tem de informação do jogo é que ele possuía duas áreas principais, as quais consistiam em uma Battleon diferenciada e uma floresta de Greenguard. Além disso, os NPCs e monstros em sua maioria eram novos e diferentes, já que a AE tentou mudar drasticamente a lore da série AdventureQuest neste jogo, criando até mesmo um possível substituto para Artix, um personagem chamado Campbell (que está presente no AQ3D atual). Enquanto uma nova raça análoga aos orcs e ogros também foi criada, os Trolluks (que também estão presentes no AQ3D). Quanto ao combate, ele parecia se inspirar bastante nos MMOs 3D famosos, como Word of Warcraft, de forma que a barra de habilidades seria uma mistura de DF e AQW. Não se sabe muito além destas informações, porém o legado de Legend of Lore não morreu, visto que ele serviu de base para muita coisa de AQ3D, o sucessor espiritual deste jogo.

Uma amostra de como seria o combate de Legend of Lore

barra

  • Bladehaven: Dragon’s Bane (cancelado)

  • Gênero: RPG de Fantasia com ação em terceira pessoa
  • Plataformas planejadas: Android e iOS
  • Data da revelação: 31 de Agosto de 2013
  • Data do cancelamento: 4 de Outubro de 2014

O segundo jogo cancelado da AE, Bladehaven: Dragon’s Bane era um jogo mobile e seria uma sequência indireta do Bladehaven original, focando na história de Galanoth, ao invés de Alteon. A história do jogo contaria a jornada de Galanoth como um guerreiro até se tornar o fundador da Ordem dos DragonSlayers, derrotando diversos monstros e dragões de vários tipos. O combate do jogo funcionaria de forma semelhante ao Bladehaven original, porém ao invés do mouse, seria usado o touch dos celulares para atacar, esquivar e defender. O jogo também possuía cutscenes, bem inspiradas na ação de animes, e ainda é possível vê-las em vídeos do Youtube, no canal oficial do jogo de nome “BladeHaven DragonsBane“. Por fim, o motivo do cancelamento nunca foi totalmente esclarecido, mas especula-se que a AE tenha requisitado a presença dos produtores de Dragon’s Bane em outro jogo, já que ele também contribuiu para a construção de AQ3D.

O combate touch de Dragon’s Bane


Um dos vários cenários do jogo


O mesmo combate, porém mais refinado

barra

  • AdventureQuest: Battle Gems

Battle Gems is a casual puzzle game for mobile iOS, Android

  • Gênero: Quebra-cabeça de luta por turnos
  • Plataformas: Android e iOS
  • Data de lançamento: 18 de Março de 2014
  • Última atualização: 31 de Março de 2018

Talvez o melhor jogo mobile já feito pelo AE (com exceção de AQ3D), Battle Gems é um jogo bem divertido que segue a mesma “receita de bolo” de Pony vs Pony, porém dezenas de vezes melhor e com muito mais conteúdo. O jogo tem uma história simples, na qual consiste em você se tornar o maior campeão de batalhas de todos (sim, é só isso mesmo), e para isso você precisará passar por inúmeras regiões, interagir com diversos NPCs, derrotar vários monstros, colecionar muitos equipamentos e finalmente derrotar o dragão Dagron, o principal vilão e chefe final do jogo.

Battle Gems (AdventureQuest) | Articles | Pocket Gamer

A área inicial de Battle Gems


A forma que Battle Gems começa é diferente dos outros jogos, pois você terá uma customização de sexo e customização facial bem básica e as classes que você escolher (guerreiro, mago e ladrão) não afetarão o rumo da jornada. Isto acontece porque, em Battle Gems, seu personagem poderá usar gemas que ocasionam ataques físicos, magias, poções e pets, independentemente da classe. Além disso, você precisará comprar e coletar o máximo de itens possíveis, já que aqui, quanto mais itens você tiver, mais forte você será. Com destaque as fases de cada região, as quais sempre farão você evoluir de nível (no final de Battle Gems, seu personagem estará perto do nível 500). Por último, o jogo também possui PVP, mas é opcional e possivelmente é desértico hoje em dia.

O menu de customização


Battle Gems tagged AQW Design Notes

O combate de Battle Gems, que é uma evolução do combate de Pony vs Pony

barra

  • AdventureQuest: Dragons

Adventure Quest Dragons - A Cookie Clicker collaboration game ...with Dragons!

  • Gênero: Idle Clicker
  • Plataformas: Android e iOS
  • Data de lançamento: 13 de Dezembro de 2014
  • Última atualização: 30 de Agosto de 2018

Um dos jogos mais simples de todos já feitos pela AE, AQ: Dragons nada mais é do que um jogo no qual você clica incessantemente para ganhar mais gemas e se entreter, já que isto é basicamente o funcionamento de um jogo Idle Clicker (é literalmente um jogo para desestressar e passar o tempo). O jogo começa com um ovo de dragão verde, e você terá que clicar nele e fazer missões que custam gemas ganhas com cliques, a fim de que o ovo choque e, posteriormente, também faça o bebê dragão crescer. O esquema é este com todos os dragões, mas para adquirir novos, você precisará de muitas gemas. Vale a pena falar que estas gemas também se acumulam sozinhas com o passar do tempo, mesmo se o jogo estiver fechado.

Os vários tipos de dragões, alguns deles aparecem no AQW


A tela onde ocorre a “ação” de AQ: Dragons e onde se deve clicar na gema central 


Algumas das missões e aprimoramentos do jogo

barra

  • AdventureQuest: Guardians (cancelado)

AdventureQuest: GUARDIANS

  • Gênero: RPG de Fantasia single-player com combate por turnos
  • Plataformas planejadas: Android e iOS
  • Data da revelação: 30 de Abril de 2015
  • Data do cancelamento: ??? (nem a AE sabe)

O terceiro e último jogo cancelado pela AE, AdventureQuest: Guardians foi uma tentativa de criar uma sequência mobile do AQ original, porém, por motivos desconhecidos, ele não foi lançado pela AE. Muito especula-se sobre o que aconteceu com este jogo, pois seu cancelamento nunca foi anunciado oficialmente, mas ele também nunca mais foi mostrado. Dizem as más línguas que ele foi um teste para o AQW mobile e, por conta da necessidade de mais pessoas no AQW e AQ3D, o AQ: Guardians acabou sofrendo um destino semelhante ao de Bladehaven: Dragon’s Bane.

Nenhuma descrição de foto disponível.

A tela de Login de AQ: Guardians (sim, eu sei que eles reaproveitaram essa arte do Galanoth)


Nenhuma descrição de foto disponível.

Uma waifu personagem do jogo (eu sei que vocês estão admirados com o nv 120 e o 9 milhões de Gold)


Falando sobre o jogo em si, seu combate era semelhante ao do AQ, mas adaptado aos celulares e tablets. Ademais, o jogo teria foco no combate e pouca exploração, assim como no AQ original, possuindo também áreas e minisagas para completar progressivamente. O AQ: Guardians também teria classes dos outros jogos da AE, porém apenas Guerreiro e Paladino foram mostrados. Bem, não sei quanto a vocês, mas eu gostaria muito que este jogo fosse lançado, pois parecia ser bem promissor e aparentemente seria uma sequência digna do AQ original.

Imagem

A classe guerreiro com o mesmo estilo do AQW


A classe paladino com B.L.o.D. e escudo


Imagem

O combate do jogo nos mesmos moldes do AQ original


A imagem pode conter: 1 pessoa

Uma área de floresta com missões e chefe

barra

  • VelocityAE

Hero Smash - Hero vs Villan MMORPG to play online in your browser

  • Gênero: Retro Arcade Runner
  • Plataformas: Android (indisponível) e iOS
  • Data de lançamento: 13 de Junho de 2015
  • Última atualização: 2015

VelocityAE é um jogo no qual você controla uma nave e o objetivo dele é sobreviver o maior tempo possível, ganhando pontos e obtendo upgrades com eles. Este é essencialmente o jogo mais simples já feito pela AE e foi criado em um dia por Rolith (Spencer Renehan), o principal codificador da empresa, que estava entediado e resolveu criar um jogo novo no seu tempo livre, por mera diversão. Após 24h, VelocityAE estava praticamente pronto, e então Rolith pediu a ajuda de Cysero e Korin para finalizar a arte e o cenário do jogo. Então, eles mantiveram o jogo em segredo, para que Rolith mostrasse a Artix pessoalmente. Sem demora, o CEO da empresa experimentou VelocityAE, ele acabou adorando o jogo e ficou até viciado, o que o fez ficar suficientemente satisfeito para publicar o arcade runner nas plataformas móveis.

Você precisará se manter longe destas paredes e ficar vivo (sim, é um Flappy Bird de navinha)


Alguns upgrades possíveis de obter após a conquista de certas pontuações

barra

  • AdventureQuest: Undead Assault

UndeadAssault

  • Gênero: Endless Runner
  • Plataformas: Android (indisponível) e iOS
  • Data de lançamento: 21 de Outubro de 2015
  • Última atualização: 11 de Abril de 2016

A evolução de um dos primeiros minigames feitos pela AE, Undead Assault é um remake do jogo anterior de mesmo nome, ele é bem mais divertido que o original e possui gráficos cartunescos. Enquanto o Undead Assault original era um spin-off do AQ, este é um spin-off do AQW, onde Artix tem que derrotar inúmeros mortos-vivos que estão atormentando vilas de Doomwood. A jogabilidade consiste no mesmo esquema do Undead Assault original, porém aqui você, ao invés de comprar novas armas, comprará armaduras, são elas: PaladinEbil PaladinHigh PaladinDark PaladinUndead Artix e Golden Paladin, cada uma com seu estilo e especial próprios.

Undead Assault - New Endless Runner Game

As várias armaduras de Artix no jogo


No jogo também é possível coletar artefatos e páginas que contam a história de Artix, além de que em alguns momentos, um dragão zumbi aparecerá para enfrentar Artix. Apesar de tudo isso, Undead Assault enjoa rapidamente, visto que não possui variações de cenários, a varidade de inimigos é pequena, o chefe é sempre o mesmo e é possível completar todos os objetivos do jogo sem muita demora.

A tela principal do jogo, onde é possível pular, atacar e usar o especial 

barra

  • BioBeasts

BioBeasts on Twitter: "All 7 #BioBeasts! Which one is your favorite? w/ @ArtixEnt #gamedev #painting #beasts #indiedev… "

  • Gênero: Arcade
  • Plataformas: Android e iOS
  • Data de lançamento: 20 de Janeiro de 2016
  • Última atualização: 11 de Janeiro de 2017

BioBeasts é um spin-off de EpicDuel e conta a história de animais que foram criados ou alterados em laboratório, por meio de experiências genéticas da Legião (a facção que se opõe ao Exílio). Sendo assim, você deverá fazer com que cada uma das “BioBestas” fuja do laboratório e derrote todos os guardas que se opuserem a isso. O jogo começa com o Bio Hazard, a BioBesta inicial, e você terá que desbloquear as outras, que são Salamancer, Bionic Bunny, Baby Yeti, Kartherax, Toxic Mantis, Frogzard (sim, ele) e Carnax Jr. (sim, ele também). Cada uma das bestas possui upgrades, que são as mutações adquiridas após você completar um estágio. Dessa forma, será necessário passar os níveis e enfrentar o chefe final, o Hovercraft, para terminar o jogo. No geral, BioBeasts é um jogo rápido e legal, então vale a pena dar uma olhada.

BioBeasts para Android - APK Baixar

Algumas das várias BioBeasts do jogo, este do meio é o Carnax Jr. (o melhor obviamente)


A visão do jogo, na qual é possível ver os inimigos de longe para atacá-los quando se aproximarem

barra

  • AdventureQuest 3D

AQ3D KickStarter Starts Friday! - Adventure Quest 3D, Cross Platform MMORPG

  • Gênero: MMORPG 3D de Fantasia com combate em tempo real
  • Plataformas: Steam, Android e iOS
  • Data de lançamento: 8 de Março de 2016
  • Última atualização: Atualmente

O principal jogo da AE atualmente e o sucessor espiritual de Legend of Lore, AQ3D é um ambicioso MMORPG 3D criado para “alcançar novos horizontes” e firmar de vez a AE no mercado mobile. A história aqui é bem mais simples se comparada aos outros jogos principais da empresa, pois foca em Vane, o Void King, que planeja utilizar seus poderes para dominar Lore e até a dimensão da Morte (na verdade, há mais coisa, mas é basicamente isso). Assim, o seu personagem é escolhido pela própria Morte para se tornar o seu arauto, a fim de evitar que Vane seja bem-sucedido e explicar porque seu personagem respawna.

Vane, o vilão mais genérico da história de AQ3D


AQ3D começa com a boa e velha customização de sexo e face, além da escolha das classes Guerreiro, Mago e Ladrão (mas há planos para disponibilizar o Curandeiro no início, como no AQW), e as habilidades das classes são desbloqueadas da mesma forma que em AQW. Ademais, AQ3D também possui atualmente 12 classes, mas irá ganhar mais com o tempo, pois o jogo ainda está na fase Beta e ainda passará por muitas atualizações. Há a presença de um sistema de tiers também, porém ele é bem simples e nem se compara com o do AQ clássico, apesar de ser melhor do que o do AQW. É interessante ressaltar que a Lore e a geografia de AQ3D são muito diferentes da série AdventureQuest no geral, possuindo novas áreas, NPCs diversos e se diferenciando assim como Legend of Lore. Tudo isso para possivelmente evitar a saturação da lore (a qual foi muito usada e compartilhada por AQ, DF e AQW) e apresentar um novo mundo para um novo público. Apesar disso, AQ3D ainda possui alguns NPCs e cenários icônicos, como Artix, Warlic, Robina, Cysero e até Dage, e de locais temos Arcangrove, Lolosia, Doomwood, Darkovia, Underworld, Greenguard e a cidade principal, que é Battleon, mas aqui ela é bem maior e diferente do que em AQ e AQW.

Battleon com vários jogadores e um portal mágico atrás deles (não, não é o portão do caos)


qlvVReW.png

O mapa do mundo de AQ3D


Muita coisa de AQW se aplica em AQ3D. No entanto, vale a pena falar que um dos diferenciais do jogo é o sistema de crafting, onde ao invés de comprar ou trocar, você constrói itens a partir de recursos e materiais coletados em missões de certas áreas. Além disso, as dungeons ou masmorras são outro diferencial do jogo, já que elas estão presentes em várias áreas e algumas são importantes para a história, também sendo necessário completá-las para coletar recursos de crafting. Aliás, é bom lembrar também que a customização aqui é mais ampla do que em AQW, visto que você pode equipar armas, armaduras, capacetes, ombreiras, luvas, botas e cintos, sendo também possível usá-los como cosméticos “em cima” de outros itens (isso só funciona com as armaduras no AQW).

AQ3D= How to Play! Open Beta Guide

A jogabilidade de AQ3D no mobile


No AQ3D há outro diferencial que são as lutas contra chefes gigantes, que estão presentes em certas dungeons e possuem diversas habilidades, eles só podem ser derrotados em equipe ou com sorte. Apesar disso, a dificuldade de AQ3D é relativamente baixa, especialmente se você usa classes que atacam de longe, como Mago, Pirata e Guarda (arqueiro gourmet). O jogo também possui áreas de parkour, que, estas sim, são o grande desafio do jogo, pois você deve chegar em um ponto (geralmente o topo do mapa) ou então realizar uma série de objetivos, a fim de obter títulos, os quais surgem abaixo do seu nome após equipá-los. De uma maneira geral, AQ3D é interessante e tem potencial, porém há muito o que melhorar, porque a jogabilidade ainda não é das melhores e possui muitos bugs (essa é a pior parte do parkour), o jogo ainda precisa de mais conteúdo e de boas histórias e sagas. Até a fase Beta terminar, espera-se que isso tudo seja melhorado e que AQ3D se torne um dos melhores jogos da AE (ou não).

Uma enorme quantidade de jogadores contra um chefe


Akriloth - AQ3D

Akriloth é um exemplo de chefe gigante com habilidades


Box Springs Parkour Challenge - Adventure Quest 3D, Cross Platform MMORPG

Uma área de parkour (deixando aqui registrado que o pior parkour é o de Underworld)

barra

  • Dungeon Punks (jogo publicado pela AE)

Dungeon Punks

  • Gênero: Beat ‘em up
  • Plataformas: Steam, PS4, Xbox One e PS Vita
  • Data de lançamento: 24 de Agosto de 2016
  • Última atualização: 2016

O primeiro jogo publicado pela AE, mas não desenvolvido por ela (foi produzido pela Hyper Awesome Entertainment, empresa amiga da AE), Dungeon Punks é um jogo estilo briga de rua, assim como Final Fight, Streets of Rage, Golden Axe, Dungeons & Dragons e Tartarugas Ninjas. Os personagens do jogo são Were-WitchHierophantDwarfKnightDjinn e Drakken, os quais se unem para expor a verdade sobre uma empresa maligna, a RezCorp, que tenta a todo custo matar os protagonistas com monstros e mutantes, tudo isso em um mundo medieval (o baseado foi bom). Da mesma forma que os jogos de briga de rua, em Dungeon Punks você escolhe determinado personagem e deve derrotar todos os inimigos na tela, a fim de poder avançar na fase. Além disso, você também pode customizar os ataques de seu personagem e pode chamar amigos para jogarem juntos, o que facilita e deixa o jogo mais divertido. Por fim, o jogo possui atributos e equipamentos, o que dá uma característica de RPG para Dungeon Punks. Mesmo que você escolha jogar sozinho, terá de escolher outros dois parceiros controlados pela máquina para acompanhá-lo, pois o jogo funciona cooperativamente.

Uma breve visão de como é o estilo do jogo


Dungeon Punks - Better With a Friend - PS4 Review – Chalgyr's Game Room

Os personagens jogáveis e seus atributos ao final da fase


Uma fase onde a ação acontece pra valer

barra

  • DungeonBorne

Alina no Twitter: "ENTER THE DUNGEON! DungeonBorne, the story-based card game is now available for Android & Apple: https://t.co/hs1vrH7bVL (This is the first game from our January 2019 Game Jam)… https://t.co/x8vMhYqdqU"

  • GêneroNarrativa de cartas
  • Plataformas: Android e iOS
  • Data de lançamento: 1 de Maio de 2019
  • Última atualização: 14 de Janeiro de 2020

Outro jogo super simples da AE, DungeonBorne é um jogo onde você escolhe um de quatro aventureiros: guerreiro, mago, bárbaro ou ladrão, o qual foi enviado por uma guilda a uma masmorra de vários andares e que está em constante mudança. Então, você deve permanecer vivo o maior tempo possível, e, para isso, terá que escolher o lado certo das cartas. Dessa forma, deslizar a carta para a esquerda fará uma ação, e para a direita, outra ação, e assim o jogo prosseguirá em todos os andares, com a narrativa contada por cartas. Além disso, seu personagem possui quatro atributos: Saúde (coração), ataque (espada), destreza (bota) e coragem (punho), eles vão se alterando conforme você vai tomando ações em cada andar, podendo aumentar ou diminuir. A dinâmica do jogo é interessante, apesar de não ter nenhuma ação, e do fato de que você vai (cedo ou tarde) decorar os truques e armadilhas, DungeonBorne ainda será envolvente o suficiente para lhe entreter por algumas horas.

DungeonBorne Class

A carta inicial do jogo, na qual você deve escolher uma classe


DungeonBorne Wizard

Uma situação no qual você deve escolher qual atributo restaurar


DungeonBorne Potion

Uma carta de poção em que você deverá escolher se vai beber ou não

barra

  • IdleQuest

Just released! IdleQuest

  • Gênero: Idle RPG
  • Plataformas: Artix Game Launcher
  • Data de lançamento: 1 de Julho de 2019
  • Última atualização: 2020

IdleQuest é um jogo exclusivo do Artix Game Launcher e, sendo um jogo Idle, ele funciona com cliques repetidos para ganhar mais dinheiro. Logo, você precisa ganhar gold clicando nos inimigos para matá-los, a fim de desbloquear novos personagens e novas fases, e muita coisa aqui é inspirada no AQW, principalmente os cenários. Já os protagonistas em sua maioria são figuras conhecidas da AE, como Artix, Alina, Warlic, Stryche, Robina, Sepulchure, Drakath, Twilly, Zorbak, Twig, Dage, Korin, entre outros. Será possível criar equipes de cinco integrantes com eles, porém a tela de personagens é limitada, então, para que você jogue com todos, é preciso ascender no jogo. Com isso, o Dragão Eterno do Tempo lhe concederá o privilégio de resetar sua jornada. Cada vez que você ganhar uma certa quantia de gold, acabará ganhando também um cristal, e com isso novos personagens poderão ser adquiridos durante o reset. É importante lembrar que os ataques dos protagonistas são automáticos, mas você deve ajudá-los para facilitar as lutas e derrotar chefes. Assim como AQ: Dragons, IdleQuest também funciona fechado, desde que o Launcher esteja aberto no seu PC.

Just released! IdleQuest

Os vários personagens desbloqueáveis do jogo


Um exemplo de como o combate funciona


O Dragão Eterno do Tempo concedendo a possibilidade de resetar o jogo

barra

  • Dungeons & Doomknights (em desenvolvimento)

DUNGEONS & DOOMKNIGHTS: An 8-bit AdventureQuest for the NES by Artix Entertainment, LLC — Kickstarter

  • GêneroAção-aventura
  • Plataforma: Nintendo Entertainment System
  • Data da revelação: 1 de Abril de 2019
  • Previsão de lançamento: 2021

Este jogo surgiu após Artix imaginar como seria jogar um jogo criado por ele no seu console favorito, o Nintendo Entertainment System (NES, Nintendo 8-bits ou “nintendinho” para os íntimos). Então, o paladino colocou seu sonho em prática e criou uma campanha de financiamento, a qual foi um tremendo sucesso e permitiu que o desenvolvimento do jogo acontecesse de vez. De forma geral, Dungeons & Doomknights é fortemente inspirado em Zelda e Castlevania, ambos jogos que mais inspiraram Artix em toda sua vida. A história do jogo adapta a jornada de Artix em Dragonfable, sendo que aqui, o paladino, após concluir seu treinamento, descobre que sua vila foi destruída por um doomknight e os habitantes foram sequestrados. Assim, Artix tem o dever de salvar as pessoas e derrotar o vilão, que é ninguém menos que Sepulchure. A jogabilidade de Dungeons & Doomknights lembra muito Zelda 1 e Zelda 2, já que o jogo possui vários mapas, segredos, quebra-cabeças, e até uma arma primária e secundária. Por último, vale ressaltar que jogo está perto de ser finalizado, com o lançamento previsto para o primeiro semestre de 2021.

A “devolução” gráfica de Artix


Dungeons & DoomKnights 100%+ Funded

Inúmeros locais com segredos estarão no jogo


DUNGEONS & DOOMKNIGHTS: An 8-bit AdventureQuest for the NES by Artix Entertainment, LLC — Kickstarter

Quebra-cabeças serão parte importante de Dungeons & Doomknights

barra

  • AQ2D/AQW mobile/AQW GO/Novo AQW (em desenvolvimento)

AQWorlds' 2019 Game Plan

  • Gênero: MMORPG 2D de Fantasia com combate em tempo real
  • Plataformas planejadas: Android, iOS, Navegador de Internet e Steam
  • Data da revelação: 14 de Agosto de 2012
  • Previsão do lançamento: 2021

Mas não é o mesmo AQW? Ainda sem nome oficial, o sucessor/port de AQW para os dispositivos móveis é a grande promessa da AE (Server Rewrite, é você?), uma vez que ele foi inicialmente mostrado em 2012. Entretanto, aquilo foi mais uma demonstração do que o início de seu desenvolvimento, o qual só realmente começou em meados de 2015/2016. Então, o que pode ser dito é que o “AQW Mobile” tem previsão para ser lançado em 2021, mas não muito dele foi mostrado. Tudo o que se sabe é que há a promessa de várias melhorias, dentre elas aumentar a performance e diminuir o lag (o jogo rodará no Unity, que é melhor que o Flash), cenários com rolagem de tela (assim como no HeroSmash), port de 99,99% dos itens existentes no AQW atual, um sistema de PVP mais robusto, sistema de lideranças e recompensas (assim como no EpicDuel), melhor prevenção e detecção de bots, e possivelmente trade ou troca de itens, porém este não foi 100% confirmado. Aliás, não se preocupem, o jogo ainda permitirá que você logue no seu personagem atual, com todos os itens e conquistas. Resta apenas esperar que a AE cumpra a promessa e seja competente o suficiente para entregar o “novo” AQW.

Imagem

Uma prévia do que poderia ser o novo inventário


Imagem

A primeira tela de gameplay oficial do AQW mobile

barra

Então, é isso jovens. Espero que tenham gostado, este post serviu como um guia objetivo e informativo ao mesmo tempo, e falei mais dos principais jogos da AE. Infelizmente, a maior parte deles morrerá com o fim do Flash. Eventualmente, eu irei atualizar este post quando os dois últimos jogos forem lançados. Agora, eu quero saber a opinião de vocês. Já jogaram todos os jogos desta lista? Se sim, vão sentir a falta deles? Se não, pretendem jogá-los antes de boa parte deles morrer? Quais são seus jogos preferidos da AE? E quais são suas expectativas para o AQW Mobile? Comentem aí para nós do blog. Desejo a todos um bom dia! Até logo mais!

3 comentários sobre “[50° Post]: Guia geral dos jogos da AE

  1. Post muito bom amigo, vendo esses outros jogos me da uma nostalgia, pq tentei jogar alguns alem do nosso amado aqw. Infelizmente não durei muito em outros jogos, como no aqw a artix tem o problema de deixar os games caírem na mesmice.

    • Obrigado! Realmente, boa parte dos jogos nesta lista acabou morrendo por descaso da AE. Infelizmente, EpicDuel e AQW atualmente são os dois jogos ativos da empresa que mais sofrem com esse descaso.

Deixe-nos saber sua opinião. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.