O Novo Cordel de Lore #8: A história de Artix e Vayle

Olá a todos! Venho lhes trazer o oitavo Cordel de Lore, o qual fala sobre ninguém menos que Artix, o mascote e personagem mais famoso da Artix Entertainment (por motivos óbvios), este jovem, além de carismático, também é o paladino mais poderoso de Lore. Contudo, apesar de Artix sempre estar sorrindo e ficar distribuindo B.L.o.D. para os outros, este alegre guerreiro da justiça possui um passado muito sombrio, e é aí onde Vayle surge, a outra personagem misteriosa deste Cordel. Então, sem mais enrolações, vamos nessa:


Aviso: Este post apresenta SPOILERS dos jogos: Dragonfable, AdventureQuest e AdventureQuest Worlds. Se vocês pretendem jogar e descobrir a história destes personagens por conta própria, interrompam a leitura agora mesmo. Entretanto, se vocês não se importam com isso (ou já sabem muito sobre estes personagens), podem ler a vontade!

barra

Parte 1: O nascido das sombras e a aprendiz das trevas

O pequeno Artix, com cerca de 10 anos

Em uma grande região florestal chamada Juniata Park, ‎na cidade de Moonridge, morava o pequeno e corajoso Artix Von Krieger. Nesta época, a floresta não era tão Doom assim amaldiçoada e cheia de mortos-vivos, e, por essa razão, a vida do garoto e das pessoas era pacífica. Certo dia, Artix estava cortando lenha com seu machado, quando de repente, ele escutou um grito de socorro. Sem demora, ele foi ao encontro da súplicas e viu uma garota agarrada a uma pedra em meio a forte correnteza de um rio, essa garota era Vayle. Então, após se aproximar da garota, Artix pediu para ela se segurar enquanto iria tentar salvá-la.

Moonridge, a pequena cidade de Artix


Artix cortando lenha com seu machado


Artix pede para Vayle se segurar enquanto ele tenta salvá-la


Em seguida, Artix estende sua mão para salvar Vayle, mas ele acaba caindo no rio e os dois são levados pela forte correnteza, fazendo-os chegar até uma caverna distante de Moonridge. Algum tempo depois, Artix acorda e se depara com Vayle chorando, ele promete que ambos voltariam salvos para sua cidade, porém antes era preciso achar um caminho para sair daquela caverna. Assim, eles começam a andar e acham um caminho por onde pudessem sair.

O pequeno lenhador estende sua mão para pegar a mão de Vayle


Artix acorda em uma caverna com Vayle


O garoto promete a Vayle que irá levá-la de volta ao seu irmão


Enquanto andavam, eles se depararam com alguns monstros, mas Artix derrotou-os facilmente. Depois disso, eles acabam se vendo entre dois caminhos, porém Vayle escolhe o mais escuro e eles entram em uma velha Torre de Guardiões, a qual era a fortificação responsável pela proteção da região, mas estava abandonada há bastante tempo. O que é intrigante é que havia algo mais estranho naquele lugar, o Orbe das Trevas, Vayle havia tocado nele e acabou ganhando asas de morcego e orelhas pontudas.

Artix lutando contra um cogumelo da caverna


Artix percebe onde era o local em que eles estavam e vê o orbe das trevas


Logo, com sua curiosidade, Artix inconsequentemente segura a esfera com suas duas mãos, ele não sabia que aquela ação mudaria sua vida para sempre, e então o garoto começou a ouvir vozes. Não se sabia de quem era, mas elas diziam que ele poderia ganhar grande poder se “aceitasse” as trevas, Artix soltou o artefato depois disso. Aquele momento foi o que fez ele decidir lutar contra a escuridão, o garoto disse para Vayle que eles precisavam sair dali, porém, sem que Artix percebesse, Vayle acaba tocando no orbe novamente, absorvendo todo o poder, e a esfera acaba entrando completamente em seu corpo.

O garoto segura o orbe com as duas mãos e escuta vozes


Vayle toca no orbe novamente


Apesar do longo caminho, Artix era familiarizado o suficiente com a floresta e, por isso, eles conseguiram voltar a Moonridge. Contudo, Edgar, o irmão mais velho de Vayle, estava furioso, porque tinha se preocupado e encontrou a irmã com sua fisionomia alterada, ele culpou Artix pelo ocorrido e disse para o garoto permanecer longe dela,  Artix apenas ficou parado sem poder explicar (um caso parecido com uma mãe chegando em casa depois da briga de irmãos, o inocente acaba se tornando o culpado).

O irmão de Vayle fica furioso com ela e com Artix


Mais tarde, misteriosamente, uma névoa verde chega em Moonridge, transformando tudo e todos que tinham contato com ela, as pessoas que a respiravam se tornavam zumbis imediatamente. Todas as pessoas da vila, com exceção de Artix, se tornaram zumbis, o garoto se viu desesperado, tudo que ele amava despencou na frente de seus olhos, ele não pôde fazer outra coisa se não lutar por sua vida, e assim Artix usou seu machado e enfrentou os moradores da vila.

A névoa verde atinge a vila com sua magia tóxica


Os moradores da vila como zumbis e prestes a atacar Artix


Artix enfrenta um morador zumbificado


Após um longo caminho, Artix consegue escapar depois de derrotar vários zumbis, ele olha para trás e vê Moonridge em chamas, além de ver um vulto com asas, era Vayle. Artix achava que era o único sobrevivente, mas estava errado, ele conseguiu escapar da cidade e correu até desmaiar devido a fumaça criada pelas chamas da vila. Acontece que aquela névoa verde não havia ocorrido por acaso, ela havia sido criada por Noxus, o mestre necromante a mando de Sepulchure, supostamente para matar Artix, pois o garoto era o Shadowborn, um ser profetizado como o verdadeiro Campeão das Trevas, o que ameaçava o posto de Sepulchure. No entanto, o necromante não estava atrás dele, ao invés disso, estava procurando Vayle, Noxus sentiu o orbe das trevas na garota e a manipulou a seu favor, o orbe seria necessário na criação do exército morto-vivo de Sepulchure, e Noxus já estava atrás deste artefato por meses, era seu objetivo prioritário e não poderia perdê-lo.

Artix vê uma pessoa com asas em meio a destruição de sua vila


Noxus estava tentando entrar na câmara subterrânea da torre dos guardiões por meses…


…porém sentiu o poder do orbe deixar a torre por conta própria


Sem demora, Noxus ainda prometeu a Vayle que ensinaria necromancia para ela, e com isso seria possível ressuscitar seu falecido irmão (famosa história para boi dormir). Em seguida, o necromante disse que se a garota focasse no espírito de seu irmão e imaginasse prendê-lo em uma garrafa, o processo de ressurreição seria possível. Então, em questão de segundos, Vayle captura a alma de Edgar e a coloca em um cristal roxo, isso tudo era mais do que a prova que o orbe agia ativamente na garota. Por fim, Vayle percebe que seu irmão estava agonizando em seu “cativeiro”, mas Noxus diz que o processo era natural e passageiro, já que o irmão dela estaria vivo na medida que ela tivesse a habilidade para revivê-lo (o que é outra mentira, porque necromantes são apenas curandeiros com um péssimo timing).

Vayle agradece a Noxus por salvá-la, mas queria ressuscitar seu irmão


Noxus diz que poderia ensinar necromancia a Vayle para salvar o irmão


Vayle consegue prender a alma de seu irmão em um cristal roxo


No dia seguinte, quando Artix acordou na floresta, uma mulher surgiu perante ele, era ninguém menos que Lady Celestia, a Sacerdotisa Sagrada, ela levou o garoto ao orfanato no Templo da Luz e fez com que Artix fosse treinado pelos paladinos. Com o poder das sombras, Artix também ganhou a habilidade de sentir a presença dos mortos-vivos e saber a melhor maneira de lutar contra eles. Dessa forma, Artix escolheu seguir em frente com sua nova vida, enquanto Vayle fez o mesmo, mas o destino de ambos ainda se cruzaria novamente.

O pequeno lenhador acorda de frente a uma bela mulher


barra

Parte 2: O paladino do destino e a necromante enigmática

Resultado de imagem para young artix dragonfable

Artix, com cerca de 25 anos e como paladino consagrado

Com o passar de vários anos, Artix se torna um adulto e um dos principais paladinos de Lore, ele havia se dedicado diariamente na batalha contra os mortos-vivos da região. Apesar disso, durante seu treinamento, Artix teve dificuldades extremas para manipular a luz, pois ele era o campeão das trevas e não poderia usar magias deste tipo, Artix não sabia disso, mas Lady Celestia, sua mãe adotiva e líder do Templo, estava ciente desta “deficiência”.

O Templo da Luz, onde Artix foi treinado como paladino


Sem as magias ofensivas e defensivas de luz, o garoto não era mais que um UndeadSlayer, e, por isso, muitos paladinos estavam querendo retirá-lo dali, porém Lady Celestia não permitiu isso. Certo dia, Noxus ficou sabendo da localização do garoto, ele não pensou duas vezes e enviou uma horda de mortos-vivos para o templo. O grande problema é que a maioria dos paladinos estava em Swordhaven, e assim o ataque surpresa dizimaria a todos, se não fosse por Artix, que derrotou vários deles apenas com seu machado de cortar lenha. O paladino que o assistiu tinha a prioridade de tirar os outros órfãos que treinavam lá também, mas ele apenas viu admirado o que estava acontecendo, cada vez que Artix derrotava um morto-vivo, o garoto dizia “De nada“.

O paladino que viu Artix salvar o Templo da Luz


Com o ataque, Artix havia descoberto que poderia interagir com os espíritos dos mortos-vivos que ele libertava, e assim conseguiu convencê-los a ajudar na batalha contra as trevas. Dessa forma, o paladino em treinamento criou o Blinding Light of Destiny, um machado comum que contêm milhões de pequenos orbes espirituais, isso permitia o uso da magia de luz por Artix. Sendo assim, ele finalmente pôde terminar seu treinamento, mas ao final de todo dia, o paladino libertava as almas que o ajudavam, a fim de permitir seu descanso eterno. Pouco tempo depois, Artix conheceu o que seria seu grande companheiro, Daimyo.

Resultado de imagem para blinding light of destiny dragonfable

O poderoso e conhecido Blinding Light of Destiny


Resultado de imagem para daimyo dragonfable

Daimyo, o cão guerreiro que se tornou companheiro de Artix


Durante o treinamento de Artix, a floresta havia recebido o nome de Doomwood, justamente por Noxus ter amaldiçoado a floresta com o poder do Orbe das Trevas (que ainda estava dentro de Vayle), a floresta ficou infestada de mortos-vivos e a maioria sob o controle de Noxus e Vayle. Contudo, apenas uma única cidade havia resistido e continuou de pé no coração da floresta, Moonridge. A cidade havia conseguido se reerguer após o incidente da névoa verde e foi repovoada, um pequena guarda chamada Moonridge Knights foi criada para a proteção contra os mortos-vivos, estes guerreiros foram treinados pessoalmente por Dragonlords para manter a segurança dos cidadãos. Como se não bastasse a guarda de tais cavaleiros, havia um posto dos próprios Dragonlords em Moonridge (essa cidade só cairia se o próprio Sepulchure desse as caras).

Moonridge durante o Book 1 de Dragonfable


O posto dos Dragonlords em Moonridge (me pergunto qual destes seria o protagonista)


Ao longo de sua jornada, Artix encontrou vários heróis: Rei Alteon, RobinaValencia, Galanoth, Cysero e Warlic. No entanto, ele só ouviu falar do (a) Dragonlord por meio de Lady Celestia, a fama do (a) herói (ína) aumentou bastante depois de um ataque de mortos-vivos a Falconreach, os relatos indicavam que eles vinham de Doomwood. Nessa época, Artix residia em Amityvale, uma pequena vila que também conseguiu prosperar na região amaldiçoada, o paladino começou a investigar a floresta mais a fundo após ouvir sobre o “Undead Assault”, ele ficou admirado pela ação do (a) Dragonlord e suspeitava que o ataque havia sido premeditado por alguém muito poderoso.

A invasão dos mortos-vivos a Falconreach conhecida como Undead Assault (essa foi a primeira guerra do Dragonfable)


File:Amityvale.PNG

Amityvale, a pequena vila de estranho mundo de Jack Doomwood


Em uma de suas aventuras por Doomwood, o paladino se depara com o (a) herói (ína) em meio a um ataque de zumbis, os dois rapidamente criam uma amizade e enfrentam os mortos-vivos. Após derrotá-los, Artix revela que estava em busca de Necropolis, a cidade subterrânea que abrigava necromantes e ninguém menos que Noxus residia no local. O paladino também diz ao (a) Dragonlord que havia perdido o B.L.o.D. em uma luta contra um necromante, Artix tentou purificar a alma de um monstro invocado da Darkness Realm. Entretanto, no processo, seu machado foi corrompido e transformado no ShadowReaper of Doom (sim, Artix acidentalmente criou uma Doom Weapon), porém Artix aprendeu um novo meio de usar magias de luz (guardem essa informação).

Artix dizendo que é uma honra lutar ao lado do herói e está feliz em conhecê-lo pessoalmente


Resultado de imagem para shadowreaper of doom

O ShadowReaper of Doom (advinha em quais mãos esse machado foi parar?)


Depois de um tempo, Noxus descobre que Artix estava planejando invadir Necropolis e manda Vayle invocar mortos-vivos para atacar Moonridge, porém o paladino sente a vinda dos inimigos e avisa o (a) Dragonlord e os moradores da cidade, permitindo então a defesa bem sucedida contra este ataque (Noxus deve odiar Moonridge no fundo do coração). Dessa forma, Artix consegue localizar a origem do ataque e encontra a suposta entrada de Necropolis, mas Vayle já esperava ele e seus companheiros, a necromante estava disfarçada e não havia reconhecido Artix (nem ele reconheceu ela), Vayle revela que Necropolis era a casa da maior universidade de necromantes de Lore. Entretanto, antes que eles pudessem conversar mais, a necromante invoca uma besta com partes de várias criaturas e ordena que ataque os invasores, enquanto ela aproveita a situação para fugir.

A necromante se diz surpresa pelo Dragonlord e seus amigos terem derrotado os mortos-vivos


Vayle revela que era a melhor estudante da universidade de Necropolis (Zorbak inclusive se apaixona por ela)


Um morto-vivo gigante surge para lutar contra os heróis (famoso pai de todos os gados)


Sem demora, Artix e o (a) Dragonlord conseguem derrotar a criatura, mas eles não poderiam entrar em Necropolis sem um meio de passar pelo portão, e assim os dois acabam retornando a Moonridge, onde o prefeito havia organizado uma festa em nome dos heróis. Durante a cerimônia, Sally, uma garota inquieta, estava atirando pedaços de monstros no palanque e sua mãe a repreendeu por isso. Enquanto isso, o prefeito estava prestes a entregar a chave da cidade para Artix e o (a) Dragonlord, quando Vayle surgiu para questionar o feito dos heróis. No entanto, o prefeito garantiu a Lady Vayle que Artix era um herói de longa data, bem como o (a) Dragonlord, o (a) qual havia ajudado a defender a cidade, imediatamente após isso, Vayle se pergunta se aquele Artix era o mesmo garoto da sua infância, e o paladino faz o mesmo.

Sally arremessa pedaços de um morto-vivo no palanque da apresentação e sua mãe fica brava


Vayle pergunta se foram realmente os dois heróis que derrotaram o exército da misteriosa necromante (que até então, ninguém sabia que era a própria Vayle)


Vayle e Artix se perguntam se aquela era a mesma pessoa de sua infância


No meio do questionamento mental, Sally usa um coração de um morto-vivo e cutuca pedaços de um esqueleto (será que ela é mal-criada?) que estavam debaixo do palanque, e assim acaba “invocando acidentalmente” um enorme monstro esquelético que destrói todo o local. Por sorte, ninguém se feriu, mas Vayle cai no chão e uma enorme árvore cairia sobre ela, se não fosse por Artix. Vayle fica admirada pelo paladino ter salvado ela (de novo), enquanto o (a) Dragonlord tentou ajudar, porém o paladino o (a) impediu dizendo que ele (a) deveria lidar com o monstro antes. Então, o (a) herói (ína) não perde tempo e luta contra Armadeadon, que havia capturado Sally com um de seus vários braços.

Sally com um coração de morto-vivo, enquanto sua mãe fica furiosa…


Sally cutuca um esqueleto com um graveto e o objeto se move


O palanque é destruído, mas Artix consegue salvar Vayle a tempo


O Dragonlord enfrenta o Armadeadon


Apesar do tamanho, o monstro não era tão forte para o (a) herói (ína) e acaba sendo derrotado, Artix consegue se livrar da árvore e Vayle desaparece, o paladino pergunta a Sally se ela estava bem e a garota apenas diz que foi divertido e queria fazer de novo. Em seguida, o prefeito diz que graças aos esforços dos dois heróis, ninguém havia realmente se ferido, o líder de Moonridge ainda diz que sabia que os benfeitores estavam querendo entrar em Necropolis, e ainda revela que sabe um meio deles entrarem lá. Depois de um tempo, o (a) Dragonlord e Artix chegam na casa de Zorbak e revelam suas intenções ao moglin.

Sally dizendo que tudo aquilo foi divertido


O prefeito revela um meio de entrar em Necropolis


Os heróis chegam na casa de Zorbak e dizem que o prefeito sabia que o moglin já tinha ido em Necropolis


Logo, Zorbak revela que já tinha sido estudante da Universidade de Necropolis e que ainda tinha o cartão de acesso a cidade subterrânea, mas ele havia sido expulso de lá (nenhuma novidade vindo deste jovem). Mesmo assim, o cartão serviria para a entrar no lugar, Zorbak então diz que os dois heróis só teriam o cartão se derrotassem Shelenton, uma tartaruga de estimação que acaba aumentando de tamanho pela magia de Zorbak, porém também aumentou sua fome e quis jantar o moglin (criou bem a criança). Sendo uma criatura lenta, não houve nenhuma dificuldade na luta contra o animal, e Zorbak cedeu de vez o cartão.

Zorbak revela que ainda possui seu cartão de identificação da universidade


O cartão do moglin com registro de “expulso”


O lento e faminto Sheleton


Com o cartão de acesso, eles conseguem passar pelo portão, porém o (a) Dragonlord questiona se eles seriam bem sucedidos na hora de passar pelos guardas da cidade, já que o registro era de “expulso” e a foto do moglin não era nada convincente, mas Artix diz que eles poderiam resolver esse problema da mesma forma que justificam os furos de enredo e os bugs do jogo (ele literalmente fala isso). Quando eles chegam perto da cidade, o guardião aborda-os e diz para eles se identificarem, o (a) Dragonlord inventa que ele é um necromante e que Artix era seu lacaio, mas o paladino acaba perdendo o controle e decide atacar os guardas, pois eles eram mortos-vivos, e Artix não se aguentava em deixá-los intactos.

Artix quebrando a quarta parede e ignorando o fato do cartão ser inválido


O guarda de Necropolis pergunta quem estava querendo entrar na cidade


Artix perde o controle e ataca os inimigos (ele literalmente surta)


Sem demora, eles derrotam os guardas e tornam o cartão praticamente inútil e entram definitivamente em Necropolis, Artix se desculpa pelo seu comportamento impulsivo, mas eles chegam a tempo de escutar Noxus reunindo um exército gigante de mortos-vivos, eles descobrem que o Undead Assault havia sido ordenado por Sepulchure. Além disso, Artix e o (a) herói (ína) escutam o mestre necromante dizendo que estava construindo um exército de 100 milhões de mortos-vivos, um tão grande que seria capaz de conquistar toda Lore sem muitas dificuldades (Dage morreria de inveja).

Artix se retrata com o Dragonlord após o ataque imprudente


Um exército enorme de caçadores de otakus mortos-vivos


Noxus diz que o exército que ele criou é diferente e maior que qualquer outro que o mundo já tenha visto


Após isso, Noxus chama Vayle e diz que ela fez um bom trabalho, a necromante diz que continuaria a ajudá-lo desde que a promessa de ressuscitar Edgar se tornasse verdade, Noxus apenas permanece em silêncio por um tempo, depois disse que a habilidade de Vayle o impressionava, milhares de soldados leais a disposição de Sepulchure. Entretanto, Noxus não estava feliz com o último fracasso de sua aprendiz, ele diz que esperava que Vayle se redimisse de seu erro lidando com os intrometidos, e, para isso, ela deveria usar suas criações mais recentes.

Vayle dizendo que irá manter sua lealdade até o fim de sua barganha com Noxus


Noxus elogia a habilidade impressionante de Vayle


O mestre necromante diz que esperava a redenção de Vayle com as últimas criações dela


O (a) herói (ína) e Artix escutam boa parte da conversa, eles ficam absolutamente surpresos pelo tamanho do exército que Sepulchure estava criando com a ajuda de Noxus, os dois heróis precisariam sabotar os principais locais de criação de mortos-vivos para barrar o progresso de Noxus. Por sorte, Artix consegue um guia da Universidade de Necropolis, o qual informava todos os setores do local.

Artix comentando sobre o exército colossal de Sepulchure


O tal guia da Universidade de Necropolis


Logo, Artix vê o mapa do guia e um local em específico chama sua atenção, o Body Shop, o (a) herói (ína) pergunta ao paladino se era algum local de higiene pessoal, porém Artix diz que aquele local não é o que aparentava e é usado para criar bestas com pedaços de vários monstros. Dessa forma, se eles fossem capazes de entrar naquele lugar, talvez conseguissem destruir os métodos de criação desses monstros, diminuindo de forma considerável o exército dos mortos-vivos.

Artix contraria o herói e diz que sempre há tempo para higiene pessoal, porém aquele local não era para isso


O Body Shop, onde vários monstros são feitos pelos necromantes


Artix dizendo que eles seriam capazes de destruir os métodos de criação de alguns monstros se eles se infiltrassem lá


Chegando no Body Shop, um professor estava no meio de sua aula e vários alunos prestavam atenção, quando o (a) Dragonlord e Artix chegam e interrompem a fala do professor, o qual pensava que eles eram alunos atrasados (será que nenhum deles viu um paladino na vida?), os dois dizem que se machucaram no caminho e precisariam ir para enfermaria. Contudo, o professor diz que é exatamente na enfermaria que ele obtém partes dos corpos, e assim eles acabam se complicando mais ainda e são obrigados a fazer os testes. Então, no laboratório de testes, por motivos de segurança, o professor mantêm distância e todos os outros alunos o acompanham (parece que já previam a carniça que ia ser), o docente ainda fala que, eventualmente, os dois “jovens necromantes” iriam aprender a criar as criaturas com seus próprios poderes sombrios. No entanto, enquanto isso não acontecia, eles precisariam mostrar que eram capazes (não são) de usar o S.N.M. (Simplified Necromantic Monstermatic), uma máquina que criava monstros.

O professor dizendo que a lição iria fazer os dois “alunos” lembrarem de chegarem a tempo na classe (eu já ouvi isso antes)


O professor fala que a maior parte dos corpos é obtida no escritório da enfermaria


Os dois “necromantes” são obrigados a realizar os testes com partes de monstros na máquina


Usando as partes dos monstros e o S.N.M., o (a) Dragonlord e Artix criam vários monstros bizarros e estranhos, os quais se rebelam contra eles (trabalho nota 10), porém os dois heróis derrotam suas criações e a batalha entre eles danifica seriamente a máquina e os materiais. O professor ficou furioso e falou que eles iriam pagar por todos os danos que haviam causado para a instalação. No entanto, o registro estava no nome de outra pessoa, a qual mais tarde se assustou com a conta recebida pelo correio.

Os vários monstros que Artix e o (a) Dragonlord criaram


O professor fica pistola muito irritado pela batalha ter destruído todo o laboratório


Zorbak recebe a conta dos estragos e toma um “pequeno” susto


Posteriormente, Artix e o (a) herói (ína) já estavam procurando outro local para sabotar, o alvo era um prédio chamado Ice Creamatorium, o estrago causado no Body Shop foi suficiente para diminuir a produção do exército de Sepulchure, mas ainda era necessário fazer mais estrago. Sem saber o que faziam no próximo local, os heróis realizam o simples ato de perguntar a um aluno que passava pela rua o que faziam no Ice Creamatorium, o necromante responde que é um local onde são feitos zumbis em formato de comida, por meio de uma sopa mágica. Estes monstros seriam usados em um plano para infectar toda Doomwood. Logo, Artix pensa em um meio de alterar a tal sopa mágica com o seu Holy Wasabi, o qual seria jogado nos caldeirões e sabotaria mais um plano dos necromantes.

O Dragonlord pergunta o que é feito no Ice Creamatorium


O estudante da Necro University diz que são feitos zumbis de comida no lugar 


Artix mostra seu tompero Holy Wasabi que ele sempre leva consigo


No temível local, eles encontram diversos monstros bizarros em formato de comida, eles derrotam todos e despejam o Holy Wasabi em cinco caldeirões espalhados nos andares do prédio. Isto tudo é suficiente para alterar os ingredientes da sopa mágica e mais um plano cai por terra (por mais bizarro que fosse, seria um plano bem eficiente se fosse posto em prática, quer dizer, olha o tamanho daquele hambúrguer!).

Os bizarros zumbis de comida do Ice Creamatorium


Um dos caldeirões guardados por um monstro hambúrguer


Após o estrago em dois dos principais prédios de Necropolis, a presença dos heróis é percebida e eles se veem obrigados a sair da cidade o quanto antes. Algum tempo depois, Artix diz ao (a) Dragonlord que há um enorme cemitério em cima de Necropolis, o paladino suspeitava que era de lá que a maioria do “material” dos necromantes era obtido. Assim, eles se movem rapidamente em direção ao cemitério, Artix percebe que a necromante roxa estava atrás deles e prepara um plano. Enquanto isso, Noxus diz a Vayle que os heróis estavam em direção ao cemitério e que confrontariam ela, quando isso acontecesse, Vayle não poderia se segurar e deveria invocar Edgar. A necromante fica com medo por ter que usar o espírito de seu irmão, mas Noxus garante que aquilo deveria ser feito e não iria interferir na ressurreição de Edgar (mentiroso! Leia na voz de Enrique Iglesias).

Artix fala que eles deveriam enfrentar vários mortos-vivos, já que a necromante estava bem na frente deles


Noxus diz que quando a hora chegasse, Edgar deveria ser invocado


Vayle fica receosa e pensa que o risco seria grande demais para seu irmão


Em seguida, Artix e o (a) Dragonlord enfrentam hordas de mortos-vivos até conseguirem chegar ao cemitério, onde Vayle invoca um morto-vivo gigante com o espírito de Edgar. Artix percebe que sua espada não seria o suficiente para lidar com a criatura, e assim o paladino levanta um enorme martelo que havia encontrado com um dos mortos-vivos. Dessa forma, o (a) herói (ína) e Artix enfrentam Edgar com toda a sua força, enquanto Vayle assistia a tudo.

O Dragonlord fala que Artix precisaria de algo maior para combater de igual com a espada da criatura (espada que no mínimo é do tamanho da DragonSlayer do Guts)


Os dois enfrentam o terrível monstro com tudo o que tinham


Após uma árdua batalha, os heróis são vitoriosos e Artix usa um grande poder para finalizar seu inimigo, o paladino invoca uma lança mágica chamada DragonSoul Spear e a arremessa. O ataque é tão poderoso que desintegra a maior parte do corpo da criatura e acerta parcialmente a necromante, destruindo seu manto e o cristal roxo, o qual estava logo atrás dela. Com isso, o espírito de Edgar é finalmente liberto e o (a) Dragonlord e Artix descobrem que Vayle era a misteriosa necromante.

Artix usa seu poder para criar a DragonSoul Spear


A criatura com o espírito de Edgar é destruída pela lança mágica


O paladino e o Dragonlord descobrem que a Necromante era, na verdade, Lady Vayle disfarçada


Sem demora, Vayle imediatamente acusa Artix de ter destruído seu irmão, uma vez que ela tinha mantido o espírito dele “seguro” por anos até aquela noite, mas o paladino havia acabado não somente com a criatura, como também com o cristal espiritual. Contudo, Artix, sabendo da verdade, diz a Vayle que Noxus estava mentindo sobre ensiná-la a trazer o irmão dela de volta a vida (tudo conversa de necromante safado). Mesmo assim, Vayle não escuta as palavras de Artix e diz que o odeia por ter feito tudo aquilo a ela, e então a necromante foge prometendo vingança.

Vayle repreende Artix por ter destruído seu irmão


A necromante diz que usou o espírito do irmão para reanimar o morto-vivo


Artix fala que Noxus mentia para Vayle quando dizia que traria Edgar de volta


Vayle diz que Artix estava mentindo, que amava seu irmão e que agora ele havia sido destruído


Com as ações dos heróis, o exército morto-vivo de Noxus encomendado por Sepulchure é reduzido drasticamente, porém o que resta fica de guarda em Necropolis. Sabendo disso, Artix e o (a) Dragonlord não perdem tempo, reúnem guerreiros de Falconreach e lideram um assalto a Necropolis (parece que o jogo virou, não é mesmo?). Noxus sabia que poderia ser atacado a qualquer momento, e assim ordena que Vayle crie mais uma criatura capaz de erradicar os heróis, o StrangeKnight. Contudo, o monstro e o exército remanescente não consegue deter os esforços de Artix, o paladino e o (a) Dragonlord derrotam o StrangeKnight e se encontram com Vayle. Os heróis dizem para a necromante encarar os fatos, pois todos os seus aliados necromantes haviam sido derrotados, mas Vayle diz que o confronto não acabaria ali e foge novamente.

Assault on the Necropolis

Artix lidera o assalto a Necropolis


StrangeKnight, o monstro criado por Vayle para apanhar matar Artix e o (a) Dragonlord


O Dragonlord diz que Vayle e os outros necromantes estavam derrotados


Depois da calorosa conversa, Artix e o (a) Dragonlord aproveitam que a cidade estava vazia e se dirigem para o covil de Noxus em Necropolis, a fim de derrotar o necromante de uma vez por todas e tirar o orbe das trevas de seu poder. No caminho, eles conversam sobre como a cidade estava vazia depois que o exército dos mortos-vivos estava destruído, o (a) Dragonlord comenta que eles haviam derrotado cinco milhões de mortos-vivos, e Artix sozinho havia acabado com outros cinco milhões (creio que até para os padrões fictícios isso seja exagerado).

Artix e o Herói em direção ao covil de Noxus


O Dragonlord comenta com Artix sobre a quantidade de inimigos que eles derrotaram


No entanto, a cidade não estava tão vazia, já que Noxus havia invocado alguns monstros para proteger a cidade, o que não impediu os heróis de chegarem em seu covil, mas era preciso procurar, já que eles não sabiam qual era o prédio correto. Quando os dois finalmente chegam ao local, Noxus diz que já esperava eles, e então Artix ordena que o mestre necromante entregue o orbe das trevas. Entretanto, Noxus revela que os heróis não poderiam controlar tal poder, e continua dizendo que não daria o artefato a eles mesmo se estivesse com a posse do orbe.

Os monstros criados por Noxus para enfrentarem os heróis


Noxus diz que Artix e o Dragonlord chegaram bem na hora de assistir a praça é nossa das trevas


 

O mestre necromante questiona a ordem de entregar o orbe das trevas para Artix


Com as palavras de Noxus, Artix fala que somente um necromante com o orbe das trevas seria capaz de construir um exército tão grande de mortos-vivos, então obviamente o mestre necromante estava mentindo. Entretanto, Noxus decide revelar a verdade sobre o orbe, ele diz que Lady Vayle era o próprio orbe das trevas, e que tinha muito cuidado quando ensinava as artes da necromancia para a garota, já que, com o artefato ligado ao corpo dela, Vayle facilmente superaria Noxus em poder e eventualmente se rebelaria. Com o passar do tempo, Noxus se tornou o reitor da Universidade de Necropolis e Vayle sua maior aluna.

Artix fala que um necromante comum não poderia criar tal exército


Noxus revela que Vayle era o orbe das trevas


Noxus dizendo sobre os cuidados que tinha ao ensinar Vayle


O “anfitrião” continou falando que, uma vez que os dois “encrenqueiros” estivessem mortos, Vayle seria capaz de reconstruir o exército de Sepulchure em questão de segundos. Em seguida, o (a) Dragonlord interrompe e pergunta se Noxus nunca pretendia ajudar Vayle a ressuscitar seu irmão, o mestre necromante responde que não, pois necromancia é a arte de reanimar temporariamente os mortos, não ressuscitá-los. Além disso, Noxus questiona como poderia controlar Vayle se ressuscitasse seu irmão, ele ainda pergunta qual seria o sentido de matar o irmão dela se não fosse para este propósito. Contudo, Artix diz que Edgar tinha sido morto pela névoa verde, e então o paladino conclui o que ele não fazia ideia, Noxus confirma a suspeita e diz que era o responsável pela magia mortal, já que ela havia sido criada especialmente para varrer o vilarejo de Artix.

Noxus diz que o exército de Sepulchure poderia ser reconstruído


O mestre necromante falando aos heróis sobre como manipulou Vayle


Noxus assume a autoria da névoa verde


Antes que o mestre necromante atacasse e Artix se enfurecesse de fato, Vayle aparece e revela que ouviu toda a conversa, ela repreende Noxus por ter sido usada e por ter confiado nele por todos esses anos (parece briga conjugal). Em seguida, o reitor tenta se explicar e é interrompido por sua ex-aprendiz, a qual diz que não ouviria mais mentiras, Vayle diz que não poderia perdoar Artix e o (a) herói (ína) pelo que eles fizeram, mas que ajudaria-os a derrotar Noxus. Dessa forma, os três se unem e enfrentam o mestre necromante, o qual invoca dois lacaios para auxiliá-lo.

Vayle diz que confiou em Noxus, mas foi usada


A necromante decide se unir a dupla de heróis


O trio enfrenta Noxus e seus lacaios (porque todo chefe medroso tem minion ajudando)


Logo, a batalha se inicia com Vayle invocando mortos-vivos para atacar Noxus, o mestre necromante não se deixa abalar pelo dano físico e usa seus ataques mágicos sem se segurar. No entanto, Artix e o (a) herói (ína) também não se intimidam pelo poder do inimigo e destroem os lacaios de Noxus sem muitas dificuldades. O poder dos três era demais para o reitor da Universidade de Necropolis, e parecia que ele tramava algo para não ser derrotado ali. Depois de algum tempo, Artix finalmente usa seu poder de luz máximo para atacar o inimigo e o enfraquece bastante.

Vayle invoca dois lacaios para atacar seus oponentes


Noxus invoca um lacaio diretamente do inferno? do submundo e o faz atacar os heróis


O mestre necromante usa uma esfera de energia negra que atravessa tudo em seu caminho


Artix usa seu poder de luz para atacar Noxus e seus lacaios


Depois uma luta demorada, Noxus é finalmente derrotado e supostamente morre, o (a) Dragonlord agradece a ajuda da necromante, mas Vayle diz para os heróis guardarem seus agradecimentos, pois Necropolis estava vazia e muito deveria ser feito. A última necromante de Necropolis diz que continuaria a tentar achar um meio de salvar seu irmão (deixa o homem descansar, mulher), ela ainda acreditava que a chave para isso era a necromancia. Por fim, Vayle ainda diz a Artix e o (a) Dragonlord para que eles estivessem preparados para ela, já que na próxima vez em que eles se encontrassem, a necromante poderia não ser tão amigável. No entanto, pouco depois dos dois heróis saírem da cidade, uma garota misteriosa surge em frente aos portões, essa garota estava sendo atraída por alguém e era ninguém menos que Sally.

Vayle diz que continuaria tentando salvar seu irmão


A necromante adverte os heróis e diz para eles estarem prontos para o próximo encontro


Sally chega a Necropolis e diz que aquela será a melhor casa de bonecas de todas


Com o passar de alguns dias, Vayle sai de Necropolis e se muda para um esconderijo, onde estava criando um pequeno exército pessoal de mortos-vivos, porém ela acaba recebendo uma carta de uma pessoa desconhecida. Na carta, um certo alguém queria usar o poder de Vayle e garantia que o acordo seria mutualmente benéfico aos dois, o indivíduo misterioso diz saber que a necromante desejava ter vingança contra o (a) herói (ína) de Falconreach, também estava escrito na carta que essa pessoa não queria que Vayle deixasse ela esperando uma resposta. Nesse meio tempo, Artix começa a se preocupar com a necromante e pede que o (a) Dragonlord ajude-a, e assim o (a) herói (ína) procura o onipresente Tomix para auxiliá-lo (a). Apesar do SoulWeaver inicialmente não se interessar no assunto, ele rapidamente muda de ideia quando descobre que o orbe das trevas estava ligada a alma de Vayle.

A carta misteriosa que Vayle recebe de alguém interessado em seu poder


O Dragonlord explica que tanto ele, quanto Sepulchure estão procurando os orbes elementais, mas nenhum dos dois possui o orbe das trevas


Tomix se interessa pela questão devido o orbe estar fundido a alma de Vayle


Assim, os dois se direcionam a Necropolis e procuram o quarto de Vayle nos prédios da cidade. Quando finalmente acham, o (a) Dragonlord encontra também um diário, o qual revela os sentimentos de Vayle antes e depois do confronto contra Noxus, além de descrever que ela estava se escondendo em uma pequena e escura cidade. No diário também revelava que Vayle estava criando um pequeno exército para sua própria proteção e para manter as pessoas ocupadas, a fim de que elas não fizessem perguntas para ela sobre suas intenções ou motivos de morar ali.

O quarto de Vayle em Necropolis


O diário de Vayle


Se guiando pelas descrições do diário, o esconderijo de Vayle só poderia estar localizado próximo de Amityvale, o (a) herói (ína) então procura pelas redondezas da vila junto com Tomix, eles acabam encontrando uma caverna com vários mortos-vivos. Sem demora, os dois enfrentam alguns dos monstros até chegarem a própria Vayle, que estava no fim do corredor escuro. A necromante fica surpresa pela visita e questiona o motivo do (a) Dragonlord estar ali, ele (a) responde que queria ajudá-la e não feri-la, porém Vayle fala que ele (a) já a feriu bastante tirando a vida do irmão dela e a vida dela, pois Edgar era sua única família.

Os vários mortos-vivos na caverna escura


Vayle surpresa pelo (a) Dragonlord surgir perante ela


Vayle despreza a ajuda do herói e o repreende


Contudo, o (a) Dragonlord não desiste e pergunta se Vayle queria ver seu irmão em dor, ele (a) continua dizendo que a alma de Edgar estava gritando, confusa e sendo torturada por estar presa. A necromante diz que o (a) herói (ína) o (a) tirou dela mesmo assim, porém o (a) Dragonlord diz que Edgar não estava mais sofrendo, já que ele havia sido liberto e que, algum dia, Vayle iria se encontrar com ele sem o uso da necromancia.

O herói pergunta se Vayle queria ver seu irmão sofrendo


Ele continua dizendo que a alma de Edgar sofria muito


O Dragonlord diz que Vayle irá encontrar Edgar novamente


Depois de ouvir essas palavras, Vayle diz que deve um favor ao (a) Dragonlord, porque ele (a) havia derrotado Noxus, e assim a necromante revela que tinha recebido a carta de alguém que queria usar o seu poder. Em seguida, Vayle admite que a oferta era tentadora, mas o (a) herói (ína) estava tentando apenas ajudá-la, e isso já bastava para convencê-la. Entretanto, o (a) Dragonlord revela que precisava do orbe das trevas para derrotar Sepulchure, e isso faz com que Vayle fique furiosa e acredite que será usada novamente, ela diz que todos na sua vida queriam algo dela e a usavam, mesmo o (a) Dragonlord. Dessa forma, Vayle se prepara para atacar e o (a) herói (ína) é obrigado a batalhar contra ela.

Vayle diz que deve um favor ao herói


A necromante dizendo que a oferta da carta era tentadora


Vayle se enfurece com o Dragonlord por supostamente usá-la e luta contra ele


Apesar de ser portadora do orbe das trevas, Vayle não possuía a habilidade e experiência do (a) Dragonlord e acabou sendo derrotada, e assim, ajoelhada, a necromante ouviu de seu (sua) oponente que ele (a) não queria machucá-la ou mesmo usá-la. O (a) herói (ína) fala em voz alta que Vayle não era o orbe das trevas, ele (a) apenas queria usar o poder do orbe e não usar a necromante. Em seguida, Tomix interrompe e diz que há um meio de Vayle viver sem a sombra do orbe sobre ela, como um SoulWeaver pode ver almas e tecê-las, ele também poderia retirar o que está ligado a elas. Por isso, Tomix é capaz de separar a alma de Vayle do orbe das trevas.

O Dragonlord fala para Vayle que não queria usá-la


Tomix diz que há um meio de Vayle não ser mais ofuscada pela sombra do orbe


O SoulWeaver revela que pode separar a alma de Vayle do orbe das trevas


Com toda a explicação, Vayle diz que não iria ser mais caçada por algo que ela não deveria ser, e então ela aceita ser separada do orbe. Dito isso, Tomix realiza a operação mágica e retira o orbe da alma de Vayle, libertando-a de seu fardo sombrio. O (a) herói (ína) decide colocar o orbe na sua mochila, mas Tomix sugere guardar no cofre do banco de Falconreach (que com certeza é mais seguro, até o Sepulchure ir pegar lá).

O orbe das trevas é finalmente separado da alma de Vayle


O Dragonlord falando onde guardaria o orbe


Por fim, Vayle diz se sentir diferente, não tão forte, o (a) Dragonlord diz que foi a liberação de um tumor, uma presença estranha que estava no corpo dela. Logo, Tomix pergunta o que Vayle pretendia fazer depois daquilo, a necromante diz que estava pensando em abrir uma nova escola de necromancia em Necropolis. Entretanto, seria uma escola para uma necromancia diferente, a necromancia para o bem, para ajudar os mortos e não escravizá-los.

barra

Parte 3: O braço-direito do heroísmo

Resultado de imagem para young artix dragonfable

Artix em Adventure Quest com seu famoso Blinding Light of Destiny

Ao longo de alguns anos, Artix passou a residir em Battleon, pois foi um dos fundadores da cidade e assumiu a grande responsabilidade de guiar novos heróis. Durante esse tempo, ele se consolidou como o chefe da Ordem dos Paladinos. Portanto, todo e qualquer guerreiro deste tipo respondia diretamente a ele, Artix também treinou alguns heróis e os fez se tornarem novos paladinos. Entre os guerreiros que treinou, o mais notável era o (a) herói (ína) de Battleon, que se tornou um dos maiores heróis de Lore. Este novo (a) companheiro (a) também ajudou Artix a derrotar uma lich chamado Sylith, que atormentou Battleon por um tempo. Nessa época, o paladino havia recuperado seu B.L.o.D. e Vayle estava ajudando as pessoas como uma necromante diferente, assim como ela havia dito antes.

Artix na sede da Ordem dos Paladinos


Sylith, a lich que controlava muitos mortos-vivos na região


Artix ajudando o herói de Battleon contra um inimigo


Vayle como uma necromante independente (note que ela usa um fragmento do cristal roxo como colar)


Durante sua estadia em Battleon, Artix participou de muitas guerras e a principal delas foi contra The’Galin, o Devorador, um Deus que destruiria Lore se não fosse pelos esforços do (a) herói (ína) de Battleon, de outros grandes heróis e até mesmo de outra intervenção divina. Contudo, Artix só liderou ativamente em uma guerra, quando um confronto iminente entre paladinos e necromantes estava prestes a explodir. O líder da ordem não mediu esforços e ordenou que os paladinos lutassem com toda a sua força, porém a guerra foi tão devastadora, com o uso exagerado de magia por ambos os lados, que fez com que as Ley Lines (Cordel de Lore#6: Parte 7) da vida e da morte fossem destruídas. Quase todos os guerreiros ali presentes morreram, e os que restaram não poderiam usar mais magias, tanto paladinos, quanto necromantes estavam condenados.

Artix e outros heróis na batalha final contra o Devorador


A guerra mágica conhecida como Edge of Extinction (sim, criaram até um fake do Zorbak, uma espécie de “sub-zero amarelo”)


A guerra entre os paladinos e necromantes, ambos os lados pretendiam destruir completamente o outro


Milhares de mortos no campo de batalhas e os que sobreviveram não tinham mais magia de luz ou trevas


Com tamanhas consequências, Artix decide viajar em uma missão pessoal para reparar o erro que cometeu e reconstruir a ordem. Alguns necromantes pesquisaram um meio de usar magia sem o uso das Ley Lines da morte, enquanto Artix estava determinado a encontrar um meio de consertar tudo a seu modo, sem o uso das Ley Lines da vida. Enquanto andava por uma floresta com Daimyo, o paladino percebe que mortos-vivos supostamente estavam atormentando alguns Leprechauns (a história tava ficando séria e os caras me inventam essa). Entretanto, antes de agir sem pensar, Artix lembra que, no passado (antes mesmo de perder o B.L.o.D pela primeira vez), havia conhecido um necromante que usava seus poderes para o bem, e era também o prefeito de uma cidade. Uma habitante do lugar havia implorado para Artix deixar seu ódio por necromantes de lado e poupar o prefeito, pois era ele quem protegia a cidade.

O prefeito da misteriosa cidade revelando que era um necromante que protegia as pessoas e lutava pelo bem


Uma mulher implorando para que Artix poupasse o prefeito, pela segurança da cidade


Algum tempo depois, um monstro enorme atacou esta mesma cidade e o prefeito tentou pará-lo, mas foi ferido gravemente, seus ataques foram o suficientes para ajudar Artix a destruir a criatura. No entanto, o paladino estava desesperado, ele pediu que alguém chamasse um clérigo para o prefeito, mas, ao invés disso, suas mãos brilharam e Artix conseguiu curar o necromante, e assim Artix descobriu que poderia usar magias de luz pelas Ley Lines (isso explica como ele usava magia sem o B.L.o.D.).

O prefeito necromante ataca a criatura gigante (eu disse que esse miserável era enorme)


Artix percebe que suas mãos estavam brilhando e fica surpreso


O paladino cura o necromante e o salva da morte


Então, após voltar a si, Artix lembra que nem todos os mortos-vivos eram necessariamente maus e decide não atacar. Ao invés disso, o paladino observa mais de perto e percebe que, na verdade, os Leprechauns é que estavam roubando artefatos dos mortos-vivos, os quais eram paladinos de uma ordem antiga. Ao perceber o engano, Artix ataca o grupo de Leprechauns safados e persegue o líder deles. Vendo que o guerreiro também era um deles, os paladinos questionam se ele havia perdido sua magia na Guerra das Ley Lines anos atrás, Artix confirma que sim. Em seguida, eles dizem que quase todos haviam perdidos os poderes, mas, por sorte, eles possuíam textos antigos que ensinavam um novo modo de usar magias de luz.

Os paladinos mortos-vivos que Artix decidiu ajudar


Sem demora, eles encontram Sham, o líder dos Leprechauns que estava usando os artefatos dos paladinos, porém Artix derrota-o facilmente e com motivação, já que este oponente era conhecido dele por frequentemente roubar sua casa. Assim, os paladinos conseguem recuperar seus pertences e retornam ao palácio, convidando Artix a juntar-se a eles. Com a situação mais calma, um dos guerreiros, chamado Zakiya, revela que não sabe porque eles despertaram, e diz que eles pouco sabiam sobre suas vidas passadas, apenas tinham algumas breves memórias. Entretanto, todos eles sentiam um chamado para defender aquele local e proteger os inocentes das cidades vizinhas. Os paladinos sentiam em seus corações que aquele lugar e as pessoas significavam muito para eles, tanto que continuaram defendendo-os mesmo após a morte.

Uncle Sham, um velho conhecido de Artix (sim, eu sei que o nome dele é ridículo)


Os paladinos convidam Artix a ir ao palácio da antiga ordem, pois o chefe deles poderia ajudá-lo


Devido ao fato deles não saberem os próprios nomes, os paladinos criaram novos para mostrar sua devoção a causa. Logo, cada um se apresentou a Artix: Zakiya, o fiel, que guiava e mantinha a fé de todos de pé, Zabura, a correta, que era a mais forte do grupo, Tsarki, o implacável, que era determinado por uma força do bem, Alkali, o justo, que era a voz sóbria e fria, e por último Uma, a mente, que criava as táticas do grupo. Após a apresentação, Artix questiona sobre os outros paladinos que estavam fora do palácio, mas Zakiya explica que nem todos eram paladinos, pelo menos não mais, uma vez que, depois da destruição de parte das Ley Lines, apenas os cinco que ali estavam poderiam usar magias de luz. Sem as “veias de Lore”, o contato com seus poderes seria muito mais difícil, já que, para eles, era necessário ter ajudado milhares de pessoas para usar a magia de paladino apropriadamente.

Zakiya explica como usar a magia de paladino. Os outros na tela são Zabura (esquerda superior), Tsarki (esquerda inferior), Alkali (direita superior) e Uma, (direita inferior)


Em seguida, Artix questiona como os cinco haviam recuperado suas magias, e então Zakiya diz que eles sentiam que já haviam sido heróis em vida, e que ajudaram várias almas no processo. As pessoas eram gratas por que os paladinos haviam ajudado-as na vida e na morte, e eles libertaram as almas da “prisão da não-morte“. Sua gratidão, amor e coragem eram poderosas forças que rivalizavam com os mais fortes dos arqui-magos (não com Warlic, obviamente). Como paladinos antigos, eles poderiam utilizar a energia que essas almas forneciam para usar magia. No passado, as Ley Lines facilitavam o contato com as almas e poderiam produzir diversas reações, mas apenas aqueles que estavam “acima da simples bondade” poderiam acessar a poderosa magia dos paladinos.

Zakiya revela que as almas eram gratas aos paladinos e os ajudaram a conjurar magias


O chefe dos paladinos fala que, sem as Ley Lines, os paladinos comuns não poderiam usar magias normalmente


Zakiya fala sobre a necessidade de uma grande bondade para o uso das magias de paladino


Apesar de Artix saber interagir com as almas (devido ser o Campeão das Trevas) para usar magia de luz a partir do B.L.o.D., ele não conseguia se comunicar propriamente com elas para usar magia sem o B.L.o.D, e por isso precisava acessar as Ley Lines, agora inacessíveis aos paladinos e necromantes. A ordem antiga dos guerreiros acreditava que o jovem paladino poderia recuperar sua magia do mesmo modo que eles. Então, Artix, mostrando seu valor, diz que devotou sua vida para ajudar as pessoas, salvar inúmeras cidades, além de derrotar vários mortos-vivos.

Artix fala sobre sua vida devota a ajudar as pessoas


Dito isso, Zakiya fala que eles poderiam fazê-lo se comunicar com as vidas que ele salvou, e assim Artix entra em uma espécie de transe, conectando-se as almas e vendo uma delas na sua frente. Logo, a alma diz que havia sido morta por Akriloth e tentou ajudar seus amigos, mas graças a Artix a vila havia sido salva e não necessitava mais de ajuda. Contudo, a alma perguntou porque o paladino estava naquele local, Artix diz que agora era ele que precisava de ajuda, e assim o espírito animado disse que poderia guiá-lo para encontrar outras almas.  No caminho, Artix ouve uma delas dizer que ele salvou milhares de pessoas em um dia, já que libertou os mortos-vivos de sua prisão e salvou os vivos que poderiam ter sido vítimas deles.

O espírito diz que foi morto por Akriloth e mesmo assim tentou ajudar, mas Artix fez isso por ele


Uma das almas diz que Artix salvou milhares de pessoas “presas” como mortos-vivos


Algum tempo depois, Artix consegue encontrar e reunir todas as almas que ajudou e diz a elas porque as reuniu, a maioria delas conheceu ele como um herói da justiça e sem falhas, porém ele explica que não pode fazer tudo sozinho e por isso precisava da ajuda de todos. Então, Artix continua dizendo que cometeu alguns erros que custaram sua magia e a de vários outros heróis que apenas queriam fazer a coisa certa. O paladino falou que queria continuar ajudando os outros, mas, para que isso fosse possível, ele precisava que aquelas almas emprestassem suas forças a ele. 

Todas as almas reunidas para ajudar Artix (obviamente a quantidade é bem maior, mas vocês entenderam)


No entanto, uma das almas disse que queria ajudá-lo, porém sua força seria inútil, já que ela não possuía nem mesmo um corpo. Ouvindo isso, Artix diz que apesar daquela alma ser única, milhares de almas como ela poderiam se unir a ele para criar uma imparável força do bem no mundo. Em seguida, Artix diz que juntos eles poderiam fazer história, salvar vidas, restaurar a justiça e estabelecer a paz, e então o paladino continua dizendo que elas sabiam o quão bom era o alívio de ser ajudado, estava na hora de ajudar os outros a conhecer esse alívio. Com esse discurso, todas as almas são convencidas a ajudar Artix e emprestam suas energias e forças a ele.

Artix diz que fez algumas escolhas erradas e muitos perderam sua magia por isso


Uma alma diz que queria ajudar Artix, porém ela fala que era apenas um espírito sem força


O paladino fala que mesmo a alma sendo única, haviam milhares como ela que poderiam unir sua força a dele


Finalmente, após despertar, Zakiya pergunta a Artix se ele foi bem, o paladino diz que sim e que havia recuperado sua magia, apesar de se sentir diferente, o fato é que ele estava mais forte do que antes. Sem demora, Zakiya diz estar muito satisfeito, o paladino antigo diz para Artix descansar, pois no dia seguinte ele iniciaria seu treinamento para se aprimorar ao máximo nas artes e habilidades dos paladinos. Isso seria necessário para que Artix pudesse restaurar a ordem e continuar a lutar pela justiça.

barra

Parte 4: O regresso do (a) Dragonlord e o auge da luz

Resultado de imagem para young artix dragonfable

Daimyo e Artix, com cerca de 30 anos e com o BLoD reformulado

Com o treinamento dos paladinos ancestrais, Artix fica mais forte do que nunca e inicia seu trabalho para restaurar a ordem. No entanto, a Rosa, uma organização anti-magia (Cordel de Lore #2: Parte 3), ganhou muita força durante esse tempo, e assim Artix teve que evitar aparecer em grandes cidades, atuando majoritariamente em Doomwood. O paladino aproveitou para manter a ordem na região e inclusive melhorou o B.L.o.D., o que fez o machado ficar mais bonito e com magias mais poderosas.

O B.L.o.D refinado e mais poderoso


A rotina de Artix era simples, porém o paladino era delicado e comprometido com cada ação do dia. Inicialmente, Artix era acordado por Daimyo bem cedo, depois o paladino tomava seu banho matinal (é isso mesmo que vocês leram), e então tomava seu café da manhã, essencial para continuar suas tarefas posteriores.

Artix dormindo em sua cama


O paladino tomando banho (sim, ele dorme e toma banho de armadura)


Artix comendo seu café da manhã


Após isso, Artix acordava os recrutas da Ordem dos Paladinos e os treinava por algumas horas, depois o paladino enfrentava mortos-vivos junto de Daimyo, atendendo a pedidos de moradores atormentados. Nesta tarefa, Artix não pegava leve, e como já estava muito poderoso, os oponentes não tinham a menor chance.

Artix treinando os paladinos recrutas


O paladino enfrenta um morto-vivo junto de Daimyo


Artix usa seu poder máximo contra o oponente


Uma mulher agradece Artix por ele acabar com os mortos-vivos


Em seguida, Artix almoçava seu prato predileto e, já na tarde, se preparava para enfrentar monstros no esgoto, os quais ameaçavam a superfície diariamente. Logo, o paladino e Daimyo derrotavam as criaturas em questão de algumas horas e, já no anoitecer, Artix meditava para liberar os espíritos do B.L.o.D. que o ajudaram naquele dia.

Artix almoçando sua comida preferida


O paladino enfrenta monstros no esgoto


Artix liberando os espíritos do B.L.o.D.


De volta ao Castelo da Ordem dos Paladinos, Artix estocava seu tempero favorito, o Holy Wasabi, e com ele em mãos, o líder dos paladinos jantava seu prato predileto. Sem demora, Artix faz uma caminhada com Daimyo como uma das últimas ações do dia, mas ele acaba se deparando com ninguém menos que o (a) Dragonlord, que não era visto pelo paladino por anos.

Artix estocando os Holy Wasabi (esqueceram dele?)


Artix jantando sua comida preferida (sim, ele só come comida japonesa o dia inteiro)


O paladino acariciando Daimyo após uma caminhada


Artix finalmente se reencontra com o Dragonlord e pergunta como ele estava


O (a) herói (ína) explica sua situação e diz que seu dragão havia sido tomado dele (a), e, não apenas isso, a criatura alada também estava corrompida por um amuleto amaldiçoado. Enquanto os dois conversavam, de longe era possível ouvir o rugido do Dragão Amaldiçoado, e Artix ficou muito surpreso com a situação, a ponto de ficar calado por alguns segundos.

O Dragonlord pede a ajuda de Artix para recuperar seu dragão


O paladino escuta o dragão corrompido de longe


O Dragão do (a) Dragonlord transformado por um Doom Amulet


Após finalmente quebrar o silêncio, Artix diz que a ameaça era um dragão (Sr. Óbvio), e apesar de ser o dragão do (a) Dragonlord, era uma ameaça que teria que ser enfrentada por um especialista em dragões. Dessa forma, Artix diz que eles precisariam da ajuda de Galanoth, mesmo que não fosse para matar o dragão, já que o conhecimento e as habilidades no assunto seriam necessárias. Com isso em mente, o (a) Dragonlord e Artix procuram o matador de dragões e, durante algumas semanas, reúnem vários heróis para defender Falconreach, que seria o grande alvo do dragão corrompido e dos Cultistas (Cordel de Lore #2: Parte 3), responsáveis por tudo.

Artix fala que eles precisariam da ajuda de Galanoth


Os heróis se reúnem em Falconreach para defender a cidade


High Cultist

Um dos vários cultistas responsáveis pela corrupção do dragão e pelos ataques a Falconreach


Logo, no decorrer de alguns dias, os cultistas finalmente atacam Falconreach, junto de suas criaturas das trevas. A batalha foi uma das mais longas que a cidade já havia enfrentado, e Artix, junto dos outros heróis, lutou por dias (mais ou menos 13 dias), o vigor e bravura do paladino sempre foram enormes, aqui não seria diferente. Mesmo com todo o esforço dos guerreiros, os cultistas conseguem atravessar os portões de Falconreach, e muitas pessoas são vítimas de suas Doom Weapons, as quais passaram a controlar os mortos.

O exército dos cultistas ataca Falconreach


Várias pessoas são vítimas das Doom Weapons


Artix ajuda o herói e Nythera contra um morto-vivo controlado por uma Doom Weapon


Com os esforços dos heróis, o exército dos cultistas é finalmente derrotado, mas Caitiff, o líder dos cultistas e responsável direto pela corrupção do dragão (Cordel de Lore #2: Parte 3), estava atormentando a mente das pessoas com seus poderes mentais, roubados de Kathool (sim, uma das bestas do caos de AQW). Por ser praticamente imune a ataques das trevas, Artix não foi afetado por Caitiff e não escutou as vozes de tormento. No meio disso tudo, o dragão do (a) Dragonlord surge perante seu (sua) parceiro (a) e estava prestes a atacar todos as pessoas ali.

Os heróis são atacados mentalmente por Caitiff


Artix não é afetado pelos ataques mentais


O Dragonlord reencontra seu dragão


Por sorte, Kordana, um mecha gigante remanescente do universo MechQuest, surge para imobilizar o dragão (não, ela não é um personagem aleatório). Em seguida, Nythera usa sua magia para arrancar o Doom Amulet do peito do dragão, e assim o (a) Dragonlord, Artix e a aprendiz de Warlic sobem no corpo da criatura para destruir o artefato amaldiçoado. No caminho, eles precisam enfrentar tentáculos que estavam no corpo do dragão corrompido. Dessa forma, os heróis finalmente chegam próximos ao Doom Amulet.

Os heróis enfrentam um tentáculo sombrio


O Dragonlord, Artix e Nythera lutam contra o próprio Doom Amulet


Kordana imobiliza o dragão corrompido


Sem demora, Artix e os outros atacam o artefato, o qual revida com sua poderosa energia, mas os heróis conseguem quebrar partes do Doom Amulet. Isto fez com que o dragão corrompido ficasse agitado, ele acaba se livrando da imobilização de Kordana e começa a voar pelo céu. Assim, o (a) Dragonlord e Nythera quase caem e ficam sem fôlego, mas Artix não se desanima e continua de pé, os heróis se recuperam e enfrentam mais uma vez o Doom Amulet, que estava mais poderoso que antes, pois os seus estilhaços o auxiliavam durante a batalha (o bicho é apelão mesmo). O amuleto era versátil e enérgico, uma vez que possuía vários ataques diferentes, mas nem por isso Artix, o (a) Dragonlord e Nythera se renderam.

Artix fica animado em meio a tanta adrenalina


Os heróis enfrentam novamente o amuleto amaldiçoado


O Doom Amulet ataca ferozmente com rajadas de energia maligna


Artix desfere um forte ataque no Doom Amulet


Depois de uma luta difícil e demorada (põe demorada nisso), os heróis finalmente destroem o amuleto amaldiçoado, mas isso faz com que o dragão corrompido volte ao seu estado original, que é de um dragão bebê. Com isso, os heróis ficam em plena queda livre, e corriam sério risco de vida, porém Aegis, o SoulAlly do (a) Dragonlord o (a) congela, Alzein, uma Atealan RiftWalker (Cordel de Lore #6: Parte 4), segura o dragão e Nythera usa suas asas para voar e salvar Artix. Tudo ocorre de forma rápida e todos são salvos da morte certa.

O dragão corrompido some após a destruição do Doom Amulet


Artix pergunta se os outros têm alguma ideia


Alzein salva o dragão, Aegis congela o Dragonlord e Nythera segura Artix com suas asas


Depois de chegarem em terra firme, os heróis discutem o que fazer com o dragão, que estava agonizando pelas consequências da corrupção do amuleto. Então, Artix sugere usar um feitiço de purificação, o qual ele havia preparado devido sua especialidade na área mágica. Contudo, o paladino não tinha certeza se o feitiço funcionaria, já que ele é normalmente usado em humanos, não em dragões, que são criaturas naturalmente mágicas.

O dragão do herói fica em estado grave após a batalha


Artix prepara um feitiço de purificação


O paladino acredita que o feitiço funcionaria para dragões assim como em humanos


Quando eles estavam prestes a decidir usar ou não o feitiço, Caitiff surge para lutar pessoalmente contra os heróis, Artix não se deixa intimidar e se junta aos outros na batalha. Todos que estavam ali enfrentam Caitiff ao mesmo tempo, a criatura era poderosa e não poderia ser subestimada, já que havia feito muito estrago até ali.

Resultado de imagem para caitiff dragonfable

Caitiff, o líder dos cultistas


Artix diz que ninguém iria se render ao oponente


O trio enfrenta Caitiff


Entretanto, mesmo com todos os heróis juntos, Caitiff é vitorioso usando de seus ataques devastadores. Artix cai ajoelhado no chão e se apoia no B.L.o.D., o paladino diz que o oponente era mais poderoso que ele esperava. De fato, nenhum inimigo que Artix havia enfrentado até então era tão poderoso, e nem mesmo o (a) Dragonlord, Ash, Nythera e Galanoth conseguiram ferir Caitiff com seus ataques.

Caitiff usa seu ataque devastador


Os heróis caem derrotados no chão


Artix diz que a “coisa” era mais forte do que ele esperava


Em seguida, Caitiff não demonstra a menor piedade e fica prestes a usar seu poder máximo para exterminar os heróis. Quando tudo parecia perdido, Dove, um monge sagrado (e atual perfil do Tomix) surge e protege todos do ataque com uma barreira criada por sua barriga (é sério). Isto irrita profundamente Caitiff e a criatura lança os aliados do (a) Dragonlord para longe, deixando apenas o dragão e ele (a) para um duelo final (que será detalhado em outro Cordel).

Caitiff usa seu poder máximo para acabar com os heróis


Dove super sayajin surge inesperadamente e salva os heróis


Caitiff captura os aliados do (a) Dragonlord e os manda para longe dali


Por fim, o (a) Dragonlord e o dragão derrotam Caitiff em uma batalha nebulosa e decisiva para Falconreach e Lore. Após o confronto, o dragão do (a) herói (ína) é purificado por Amadeus (Cordel de Lore #2: Parte 3), um dos integrantes da Rosa, e assim eles se reencontram com Artix e os outros. Sem demora, o (a) Dragonlord pessoalmente ajuda Artix a se levantar e os outros heróis comemoram a grande vitória contra as trevas. O paladino sabia que ainda havia muito o que ser feito, mas o futuro ainda guardava muitas surpresas, e também o que se tornaria o maior inimigo de Artix.

barra

Parte 5: O campeão das trevas e o tirano de Doomwood

Resultado de imagem para artix aqw

Artix, com cerca de 35 anos e com o BLoD clássico de AQW

No decorrer de alguns anos, a Ordem dos Paladinos se expande a níveis nunca antes vistos, e Artix deixa o posto de líder para atuar em regiões além de Doomwood. O paladino sabia que já tinha feito seu trabalho no alto escalão e deveria expandir seu campo de ação. Dessa forma, Artix passa a frequentar a floresta de Greenguard, bem como residir novamente na cidade de Battleon, a qual ele havia deixado aos cuidados de outros heróis no passado. Em certo momento, Sepulchure retorna e decide atacar Swordhaven, Artix não perde tempo e entra na defesa da cidade, ficando a frente do exército do Rei Alteon e lutando contra inúmeros mortos-vivos. No meio de tudo isso, Artix conhece o (a) herói (ína) do AQW, que lhe ajuda na batalha.

i0fwlNg.png

Artix enfrenta uma horda de mortos-vivos em Swordhaven 


O combate foi demorado, mas a forças de Sepulchure conseguiram adentrar no castelo do Rei Alteon. Em seguida, a memorável luta entre o rei e o imperador ocorre, sendo interrompida por Drakath e desencadeando uma série de consequências enormes. Certo tempo depois, Artix é convocado por Alteon, que estava infectado pelo caos, além do paladino, o (a) herói (ína), Cysero e Beleen também tinham sido chamados. Sem demora, o rei fala que precisaria deles na luta contra Drakath, já que as “feridas do caos” estavam cada vez mais enfraquecendo-o, e assim Artix fala que deveria existir algum meio de ajudar Alteon.

Artix diz que deve ter algo que pode ser feito para ajudar o Rei Alteon


Contudo, a tal doença parecia ser incurável e o rei diz que queria uma conversa pessoal com o (a) herói (ína). Sendo assim, Artix, Cysero e Beleen deixam o quarto, e então Alteon diz que alguém havia reativado Necropolis e estava criando um exército de mortos-vivos, o (a) herói (ína) fala que poderia resolver o problema com a ajuda de Artix. No entanto, Alteon diz para ele (a) não levá-lo até lá, uma vez que a vida do paladino estaria em perigo, e antes de contar o segredo de Artix, o rei sucumbe temporariamente ao caos. Dessa forma, o (a) herói (ína) tem que sair do quarto e vai imediatamente a Doomwood, sem avisar Artix. O fato é que ninguém menos que Noxus havia retornado, ele era agora conhecido como o Necromante Supremo, pois havia se tornado em um lich e se tornou o mais poderoso e inteligente necromante de Lore. Noxus havia retornado com ajuda de Sally, que virou sua aprendiz e principal aluna, eram eles que estavam por trás da reativação de Necropolis, além de terem “acordado” uma nova ameaça chamada Vordred.

2MbNdPK.png

O mapa de Doomwood


Noxus de volta a vida como um lich, Sally ao centro e um paladino morto-vivo a direita


Vordred, o monstro criado a partir de um conhecimento ancestral


Chegando em Doomwood, o (a) herói (ína) percebe que a situação estava muito grave, uma vez que Lightguard, um dos castelos da Ordem dos Paladinos, estava sob ataque de um exército de mortos-vivos. Sem perder tempo, o (a) herói (ína) ajuda os guerreiros da luz na floresta e acaba se encontrando com Vordred, o qual tinha acabado de matar um paladino. Em seguida, como é burro (a) o (a) herói (ína) se disfarça de morto-vivo para se infiltrar e chegar mais perto de Vordred. No entanto, o tirano das trevas percebe o disfarce e transforma o (a) guerreiro (a) em um morto-vivo de verdade, frustrando o plano dos paladinos.

Vordred na floresta em frente a Lightguard


axGqTy1.png

Arryd, um dos treinadores de paladino que ajudou o (a) herói (ína) com um péssimo plano


Bagged Undead - AQW

O disfarce que acaba se tornando real


Após isso, o (a) herói (ína) debilitado (a) retorna a Lightguard e ninguém menos que Vayle surge para ajudar, ela tinha assuntos a resolver ali e sabia que Vordred era uma grande ameaça. Então, a necromante usa o poder do último fragmento do cristal roxo, o qual ela usava como colar. Isto permitiu com que o (a) herói (ína) voltasse ao normal, já que a magia era bastante poderosa, remanescente do orbe das trevas, e foi usada antes da transformação definitiva em morto-vivo. Em seguida, Vayle diz para manterem Artix longe de Vordred, pois era ela que deveria matar o paladino e sabia que Vordred deveria ser destruído para que isso fosse possível.

Vayle faz o (a) herói (ína) voltar a seu estado normal após ser transformado por Vordred


Vayle diz que usou o último fragmento do cristal para reanimação


A necromante diz para o (a) herói (ína) manter Artix longe de Vordred


Algum tempo depois, Artix chega em Lightguard após ouvir os rumores sobre Vordred e o ataque dos mortos-vivos (é impossível manter ele longe de treta com os mortos). Entretanto, o (a) herói (ína) impede de Artix prosseguir e é obrigado a nocautear o paladino (isso foi feito com uma piada de cadarço desamarrado), prendendo-o na cela do castelo para a segurança do próprio Artix. Acontece que Vordred já havia matado todos os paladinos de Lightguard, e apenas alguns cavaleiros estavam de guarda no local, e por isso Artix não poderia enfrentar Vordred. Com isso em mente, o (a) herói (ína) buscou informações sobre Vordred com Zorbak, enquanto Vayle ficou de guarda na cela de Artix e manteve o B.L.o.D. “seguro”, porém ela aproveitou a situação e debochou do paladino (anos de estudo para se vingar dessa maneira).

Artix diz que tem um matador de paladinos para matar


Artix é preso pelo (a) herói (ína) para sua própria segurança e Vayle fica com o B.L.o.D.


Vayle debocha de Artix com o B.L.o.D. em suas mãos


Depois de reunir informações com Zorbak, o (a) herói (ína) se infiltra em Necropolis e consegue conversar com o próprio Noxus e Sally. Logo, ele (a) descobre que ambos haviam criado Vordred com um conhecimento ancestral e que o matador de paladinos estava destinado a se tornar o Campeão das Trevas.

Noxus e Sally revelam que criaram Vordred


Após isso, o (a) herói (ína) procura informações de como destruir Vordred no Templo da Luz, local onde Artix havia sido treinado e onde reunia o tal conhecimento ancestral. Chegando lá, o (a) herói (ína) se encontra com o próprio Artix, o qual havia fugido de sua cela, o paladino revela seu segredo de se comunicar com as almas logo após eles derrotarem um Dracolich, que guardava o tomo ancestral. O livro revela que a cada 100 anos um Campeão Elemental surge, e assim os heróis suspeitam que Vordred seria o campeão das trevas. Contudo, o Book of Lore diz que Vordred precisaria de algo mais para se tornar o campeão. Em seguida, o (a) herói (ína) decide derrotar Noxus, que já planejava atacar ShadowFall, e Artix procura pessoalmente enfrentar Vordred.

O livro antigo que continha o conhecimento usado para criar Vordred


Artix destrói o Dracolich usando sua técnica de expulsar o capeta


Artix conta ao (a) herói (ína) seu maior e mais obscuro segredo


Enquanto isso, Vordred chegava em Lightguard, o matador de paladinos tinha acabado com todos os cavaleiros que viu pela frente, e então ele se dirigiu as celas e viu apenas Vayle com o B.L.o.D.. Depoos disso, Vordred pergunta onde estava Artix, porém a necromante roxa revela que o paladino havia escapado uma hora atrás, justamente para lutar contra o próprio Vordred. Como se não bastasse isso, Vayle ainda fala que sabia o que o matador de paladinos se tornaria se matasse Artix (poderia ter revelado antes pra evitar toda a jornada).

Artix escapa da prisão e Vordred pergunta onde ele estava


Vayle diz que o paladino havia escapado para procurar o próprio Vordred


A necromante diz que sabe a ameaça que Vordred representa


Sem demora, Vordred aproveita a situação e corrompe o B.L.o.D, o que faz as almas do machado saírem a força, e então o matador de paladinos e Vayle descobrem que Artix usava magias de luz indiretamente. Sendo assim, Vordred segura o B.L.o.D e o transforma no ShadowReaper of Doom, Vayle apenas assiste sem poder fazer nada (ela nem queria). Em seguida, Vordred diz para os seus lacaios esperarem por Artix, já que o paladino viria eventualmente até eles.

Vordred e Vayle descobrem o segredo de Artix


Vordred transforma o B.L.o.D no ShadowReaper of Doom (de novo, Artix… Na terceira pode pedir música no Fantástico)


O matador de paladinos apenas diz para seus lacaios esperarem Artix vir até eles


Depois disso, Noxus é derrotado em Shadowfall por Gravelyn e pelo (a) herói (ína), e Artix chega na floresta em frente a Lightguard. O paladino destrói o enorme exército sozinho e desarmado, e finalmente chega o momento dos dois inimigos mortais se enfrentarem. Quando Artix encontra Vordred, ele se apresenta formalmente e diz que estava procurando pelo matador de paladinos. O Tirano de Doomwood vê o que aconteceu, fica surpreso e pergunta se Artix tinha sido o responsável, já que foram destruídos milhões de mortos-vivos no campo de batalha.

Artix derrota o exército de mortos-vivos e finalmente encara Vordred pessoalmente


O paladino diz que estava feliz em conhecer Vordred


Vordred pergunta se Artix derrotou seu exército sozinho (não, foi o Jô Soares)


Mesmo com toda brutalidade do tirano, Artix acha que é capaz de convencer Vordred a liberar os espíritos escravizados, e que o matador de paladinos se renderia em paz. No entanto, Vordred não dá ouvidos as falas de Artix e ataca ferozmente o paladino com o ShadowReaper of Doom. Isto não é o suficiente para derrotar o guerreiro da luz, e assim Artix se levanta e invoca a Ultimate DragonSoul Spear.

Artix pede para Vordred liberar os espíritos escravizados e desaparecer daquele mundo em paz (claro que ele não ia fazer isso)


Vordred ataca Artix em cheio


O paladino conjura a Ultimate DragonSoul Spear de dez milhões de orbes espirituais


Enquanto Artix carregava o seu ataque mais poderoso, Cysero e Beleen assistiam de longe, o (a) herói (ína) chega logo atrás e corre para defender Artix. Então, Vordred se vê obrigado a enfrentar o (a) oponente, o matador de paladinos passa a usar sua espada e o machado amaldiçoado ao mesmo tempo (justo), a fim de não dar chances aos seus inimigos.

O herói surge para defender Artix


Resultado de imagem para vordred

Vordred com sua espada e o ShadowReaper of Doom


Após carregar o ataque da lança, Artix se prepara para arremessá-la, porém Vordred diz que é imune a luz, e, portanto, não poderia ser afetado por magias de paladinos. Contudo, Artix fala que a lança não era feita de luz, e ainda revela que ele havia feito uma lança extra para o (a) herói (ína) em segredo. Dessa forma, os dois arremessam as lanças em Vordred, mas, ainda assim, o tirano absorve completamente a energia do ataque.

Vordred fala que é imune a luz


Artix pergunta se o herói está pronto para arremessar as lanças


Vordred absorve as duas lanças e se energiza


Aparentemente, o ataque acabou deixando Vordred mais poderoso e insano e ele profere sua frase “MAIS CRÂNIOS”, absorvendo mais partes de mortos-vivos próximos. Em seguida, o tirano nocauteia os dois heróis instantaneamente com suas armas. Apesar dos ferimentos, os dois se levantam e Artix pensa um pouco e percebe que Vordred não era imune a luz, e, sim, sua armadura de crânios. O matador de paladinos precisava constantemente de mais crânios para sua armadura suportar as magias de luz.

O insano Vordred absorve mais crânios (parece aqueles marombados de academia enlouquecendo)


 

Vordred nocauteia os dois heróis com um ataque devastador


Artix percebe que apenas a armadura de crânios de Vordred era imune a luz


Por baixar a guarda novamente, Artix acaba sendo atacado e levado ao chão, porém o paladino usa um ataque que faz Vordred ser explodido por dentro, e assim os mais de 10 milhões de orbes espirituais absorvidos do B.L.o.D. e das lanças são liberados. Isto ocorreu porque os espíritos que foram libertados por Artix não poderiam ser reescravizados. Com isso, Vordred fica seriamente debilitado e o ShadowReaper of Doom é destruído.

Artix revela que não é possível escravizar os espíritos que ele já libertou


Vordred explode com o imenso poder liberado


Resultado de imagem para vordred

Vordred só o buraco e a catinga seriamente ferido


Apesar de gravemente enfraquecido, Vordred decide mostrar sua verdadeira forma, que é puramente sombria, e assim ele se livra de sua armadura. Depois disso, o matador de paladinos tenta transformar Artix em um morto-vivo, assim como fez com o (a) herói (ína), desta vez em definitivo. Entretanto, Vordred não é bem-sucedido, ele revela que Artix não se transformou porque era o Campeão das Trevas, e o próprio Artix não sabia disso (sim, todo esse tempo ele não sabia). O paladino questiona as falas de Vordred, já que acreditava que muita coisa era mentira, mas, de fato, Artix havia se tornado o campeão desde que tocou no orbe das trevas.

Vordred em sua forma verdadeira tenta transformar Artix em um morto-vivo


O matador de paladinos diz que Artix foi enviado pela dimensão das trevas para destruir o mundo


Artix questiona a veracidade das informações de Vordred


Sem demora, Vordred diz para o (a) herói (ína) usar o amuleto que Gravelyn deu a ele (a), pois aquilo iria liberar o verdadeiro poder do Campeão das Trevas. Não vendo outras opções, Artix apela para o uso do artefato e se transforma em um enorme dragão das trevas, Vordred corresponde e fica enorme para enfrentar o paladino. Enquanto isso, o (a) herói (ína) tem de lutar contra uma sombra de Vordred, a qual era do mesmo tamanho dele (a).

Vordred diz para o (a) herói (ína) liberar o poder de Artix com o amuleto da ShadowScythe


Artix se transforma em um dragão das trevas e Vordred fica gigante


GtVmRE5.png

Shadow Vordred/ Ultra Vordred/ Mega Ultra Vordred (sim, é nome e Vordred que não acaba mais)


A luta é muito intensa, principalmente entre o Dragão Artix e o Vordred gigante, porém o (a) herói (ína) derrota a sombra do tirano e o paladino mostra que é superior ao matador de paladinos. Com isso, Vordred fica muito enfraquecido e o nascer do sol surge no horizonte, deixando o tirano ainda mais debilitado. Artix volta ao normal e fala ao (a) herói (ína) que sempre imaginou que veria o sol nascer em Doomwood. Entretanto, quando tudo parecia estar acabado, Vordred tenta desesperadamente atacar os heróis, mas é impedido por Vayle, que surge para proteger Artix e o (a) herói (ína).

Vordred exausto dizendo que precisa de mais crânios


Artix diz que sempre acreditou que veria o sol nascer em Doomwood


Vordred tenta um ataque desesperado e acaba sendo impedido por Vayle


Em seguida, Vordred é destruído completamente pela luz do sol, e Vayle desfaz o campo de força que usou para proteger os heróis. Apesar de ter salvo o paladino, a necromante roxa diz que era a hora de acabar com o próprio Artix, mas a alma de Edgar surge e impede que sua irmã cometa um erro tremendo.

Vordred é destruído pela luz do sol e os heróis ficam surpresos com a aparição de Vayle


A necromante roxa diz que agora irá lidar com Artix


Edgar surge e impede que Vayle lute contra Artix


Logo, Edgar diz a sua irmã que o que ela fez era errado e que ela não deveria seguir por aquele caminho. Dito isso, o irmão de Vayle desaparece e retorna ao seu descanso eterno. A necromante roxa fica absolutamente surpresa e comovida, mas ainda assim não perdoa os heróis, dizendo que na próxima vez que se encontrassem, eles seriam inimigos mortais (de novo essa conversa?).

Edgar diz que Vayle tem feito coisas erradas


A necromante diz que Artix e o herói ainda serão inimigos mortais dela


Após algum tempo, Artix e Vayle acabam por fazerem as pazes e os dois são vistos na frente de Necropolis ajudando heróis. Apesar de tecnicamente ainda serem rivais, os dois também nutrem sentimentos um pelo outro, porém a devoção a causas diferentes ainda os afasta.

Artix, Daimyo e Vayle com seu rosto a mostra em Necropolis


No decorrer de vários meses, a guerra contra o caos explode e envolve toda Lore. Quando Drakath é supostamente derrotado, ele entra na Chaos Realm e o (a) herói decide segui-lo, mas para isso era necessário um poder enorme, e Artix avisa sobre os perigos do portal. Assim, o paladino e Gravelyn decidem ceder seus poderes de Campeão das Trevas e da Luz, respectivamente, para permitir este acesso ao (a) herói (ína).

Artix avisa o perigo do portal do caos após Drakath atravessá-lo


Artix e Gravelyn usam seus poderes de campeões das trevas e da luz


O paladino diz que ele e Gravelyn deram suas forças para o herói


Por fim, Artix diz que quando o (a) herói (ína) retornasse, eles juntos iriam colocar o mundo de volta ao seu lugar, já que grandes aventuras e ameaças estariam os esperando, e Artix estaria pronto para elas no momento certo.

barra

Parte final: O mestre da justiça contra as sombras eternas

Jn6xYbX.png

Artix com uma armadura nova e reforçada

Após alguns meses, Artix ajuda a reconstruir Battleon e outras cidades afetadas, além de se comprometer a lutar contra a Queen of Monsters, que ameaçava Lore com seus filhos. Dessa forma, Extriki, o primeiro dos filhos surge de uma fenda e estava indo em direção a Greenguard, área protegida por Artix. O paladino cria uma barricada em torno de Battleon e ajuda Cysero e outros heróis na defesa da região, ele próprio prepara um plano de evacuação, caso não fosse possível parar Extriki. Contudo, o plano principal era lutar contra o monstro em Greenguard e evitar que ele entrasse na cidade junto de outros monstros.

Extriki, um dos filhos da Queen of Monsters


qXCb11X.png

Artix em Greenguard


Artix defende a floresta de Greenguard e Battleon, enquanto pensa em um plano de evacuação


Por sorte, a defesa criada por Artix é suficiente para aguentar os ataques dos monstros. Enquanto isso, o (a) herói (ína) captura uma criatura que falava e que conhecia bem o filho da Queen. Logo, Artix e os heróis de Battleon conseguem afastar Extriki, e assim a cidade e Greenguard são salvas, o que dá tempo para eles pensarem em um meio de derrotar a criatura definitivamente.

Artix em uma barricada de Battleon, enquanto o herói derrota um “lacaio” de Extriki


O paladino vê os monstros recuando após o sucesso em impedí-los de invadir a cidade


Eventualmente, Extriki é derrotado pelos heróis, e Artix fica de prontidão em Battleon por um tempo. Durante algumas semanas, o paladino ajudou o (a) herói (ína) a derrotar outras ameaças, especialmente as que envolviam mortos-vivos. Mesmo assim, Artix estará disponível para defender as pessoas de qualquer outra ameaça. O mais importante de tudo é saber que Artix jamais desistirá de lutar pela justiça, e continuará trazendo o poder da luz a todos, inclusive na mais sombria das pessoas…Ele próprio.

Imagem relacionada

Artix lutará eternamente pela justiça e pela paz em Lore

barra

Então, é isso jovens. Espero que tenham gostado. Demorei bastante neste Cordel, mas ele saiu e é isso que importa. Devo dizer que Cordéis com foco em mais de um personagem devem ser mais frequentes daqui para a frente. Espero terminar os próximos o mais rápido possível, mas agora eu quero saber de vocês… O que acharam deste Cordel? Acham que Artix é um bom herói? Vayle aparecerá novamente? Qual personagem você quer ver aqui? Comentem para nós do blog. Desejo a todos um bom dia! Até logo mais!

 

Deixe-nos saber sua opinião. Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.